Audiência Pública para apresentação do diagnóstico da elaboração de Política e do Plano Municipal de Saneamento Básico é realizada em Itapoá Imprimir E-mail
Política
Sáb, 14 de Novembro de 2009 18:49

Na manhã dessa quinta-feira (12), nas dependências do Hotel Pérola, foi realizada Audiência Pública para apresentação do Plano Municipal de Saneamento Básico de Itapoá. Na ocasião, estavam presentes várias autoridades, tais como alguns secretários municipais e alguns vereadores do Município. Estavam presentes também, munícipes, professores e muitos estudantes da Escola Nereu Ramos.

 

Quem apresentou o Plano Municipal de Saneamento Básico de Itapoá foi José Olimpio Muricy, representando a MPB Engenharia Ltda., empresa responsável pela elaboração de tal plano. De início, o trabalho da MPB contou com identificação dos agentes envolvidos e definição do grupo de trabalho. A segunda etapa tratou da definição da unidade de planejamento, a qual considerou toda a bacia do Saí Mirim como alvo de análise. Na etapa III foram adquiridas todas as informações básicas referentes ao assunto no Município.

 

A quarta e última etapa apresentada fez referência à relação dos diagnósticos setoriais, compreendendo o abastecimento de água e o esgotamento sanitário. Muricy informou que a recente troca de empresa responsável pelo saneamento básico de Itapoá acabou prejudicando o Município, visto que a CASAN (Companhia Catarinense de Águas e Saneamento), que era a responsável pelo fornecimento, não repassou conhecimentos, nem cadastros à Prefeitura, os quais muitas vezes precisaram ser requeridos judicialmente em processos demorados. “Hoje, o abastecimento de água em Itapoá está em estado crítico, pois o sistema de abastecimento não acompanhou o crescimento da população”, disse Muricy.

 

Dando continuidade à quarta etapa do Plano de Saneamento Básico Municipal, que foi a mais longa dentre as etapas concluídas e apresentadas na ocasião, Muricy citou que Itapoá possui três locais de captação de água e que o seu sistema de reservação de água está bastante precário. Segundo levantamento, Itapoá já conta com mais de 11 mil ligações, que contabilizam 13 mil economias (visto que condomínios prediais possuem apenas uma ligação e tantas economias quanto forem o número de apartamentos).

 

Entre os presentes que se manifestaram, o Vereador Izaque Goes expôs que um dos principais problemas do Município é a falta de planejamento e a falta de continuidade entre as gestões de governança municipal. “Espero que, agora, o fornecimento de água e o saneamento básico realmente aconteçam de forma planejada em Itapoá”, completou o Vereador.

 

Um consenso entre o público presente e o representante da MPB Engenharia, José Olimpio Muricy, é de que o problema de saneamento básico não diz só respeito a Itapoá, mas, sim, é um problema sério em todo o Estado. “A maior vergonha do estado de Santa Catarina é o sistema de esgotamento sanitário”, considerou Muricy. Segundo ele, cidades grandes como Itajaí, por exemplo, não contam com sistema de esgotamento sanitário e são poucos os municípios que já fizeram esse planejamento, como Itapoá está fazendo no momento. “Isso mostra preocupação da Prefeitura com respeito ao assunto” completou.

 

Em poucos dias, a MPB Engenharia deve finalizar e entregar um relatório referente às próximas etapas da Política e do Plano Municipal de Saneamento Básico de Itapoá.

 

Seguem imagens da referida audiência, cedidas por Ricardo Ribeiro Haponiuk, bem como um resumo da audiência pública em slides.

 

Adicionar comentário

Política de Comentários DI

Ao efetivar um comentário, o internauta concorda com a nossa política de moderação.


Código de segurança
Atualizar