Servidores de Itapoá cobram promessas do Prefeito Sérgio Ferreira de Aguiar Imprimir E-mail
Política
Sex, 21 de Março de 2014 08:45

Cerca de 100 servidores municipais de Itapoá participaram nessa terça-feira (18) da assembleia que discutiu a Campanha Salarial 2014, dos servidores municipais de Itapoá. A mudança da data-base esteve entre os principais temas do encontro. Nessa quinta-feira (20), o Sinsej discutiu com o prefeito Sérgio Aguiar (PMDB) a transferência do dia limite de negociação salarial para 1º de maio. Hoje, a data-base destes trabalhadores é 1º de janeiro, mas as negociações costumam ser prejudicadas por trocas de governo e férias de grande parte da categoria.


Os servidores de Itapoá já receberam um reajuste de 6,2%, que correspondia à inflação acumulada entre janeiro de 2012 e o mesmo mês de 2013. Com a mudança da data-base, o Sinsej solicitou a inflação entre janeiro e maio de 2013, e também um percentual de ganho real.


Em uma reunião com o sindicato no final de janeiro, Aguiar adiantou que acataria a data-base definida pela categoria. Na ocasião, a pauta de reivindicações formulada em assembleia no final de 2012 foi apresentada e o prefeito pediu um prazo para tomar conhecimento da situação do município. Assim que outra reunião for agendada, o Sinsej comunicará a categoria.


Reunião do dia 13/03
Servidores do município de Itapoá realizaram sua assembleia de lançamento da Campanha Salarial 2014 no dia 13/03. O evento começou com a cobrança das promessas não cumpridas pelo prefeito Sérgio Aguiar (PMDB). A primeira delas foi a aprovação do Estatuto dos Servidores, construído em 2013 com a participação de representantes do Executivo.


A Pauta de Reivindicações aprovada contém 23 itens. Além das promessas passadas, os trabalhadores querem a recuperação das perdas salariais históricas. Outro ponto importante é a elaboração de um Plano de Carreira para a categoria. Também está na pauta a equiparação do vale-alimentação ao pago em Garuva, hoje em R$ 380.

Confira a pauta das reivindicações, neste link.


Reposição das perdas históricas


Um dos assuntos mais debatidos nas reuniões do sindicato é a reposição da perda salarial de 37% acumulada no município desde 1995, segundo estudos do Departamento Intersindical de Estudos e Estatísticas (Dieese). “Essa é uma perda histórica e não podemos esquecer essa defasagem. Precisamos trabalhar essa restituição e avançar no restante da pauta de Itapoá”, lembrou o presidente do sindicato, Ulrich Beathalter. A prefeitura já concedeu um reajuste de 6,2%, que corresponde à inflação dos últimos 12 meses com base no INPC.


“A gente insiste para que a prefeitura trabalhe para fazer a reposição das perdas, pois é isso que valoriza o servidor”, explicou Ulrich aos representantes do governo, “porque abonos e gratificações passam, mas os aumentos incorporados aos salários valem para a contribuição previdenciária e é o que fica.”


Fonte: SINSEJ, com adaptações do Diário de Itapoá.

 

Adicionar comentário

Política de Comentários DI

Ao efetivar um comentário, o internauta concorda com a nossa política de moderação.


Código de segurança
Atualizar