Itapoá tem alto desenvolvimento humano segundo o IDHM divulgado por órgão da ONU Imprimir E-mail
Política
Ter, 30 de Julho de 2013 14:45

Evolução do IDHM de Itapoá.Dados divulgados nessa segunda-feira (29) detalharam o IDHM (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal) do País. Intitulado “Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil 2013”, o estudo integra o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud).

Com o IDH municipal de 0,862, São Caetano do Sul, na região metropolitana de São Paulo (SP) tem o maior índice do País, enquanto Melgaço (PA), com IDHM de 0,418, o menor.

Itapoá, com o IDH municipal de 0,761, ficou na 350ª posição do País (que totaliza 5565 municípios). O índice, considerado de alto desenvolvimento humano, coloca o município itapoaense entre os 6% mais desenvolvidos do Brasil. Comparado com os demais IDH’s municipais da região, Itapoá mantém-se em posição de destaque, à frente, por exemplo, de Garuva, Araquari, Balneário Piçarras, Barra Velha, Balneário Barra do Sul, Campo Alegre, Guaramirim, Penha, Navegantes e Porto Belo. Ficou atrás, porém, de São Francisco do Sul, Florianópolis, Balneário Camboriú, Joinville e Jaraguá do Sul.

Assim como o de muitas cidades brasileiras, o IDH de Itapoá teve um crescimento impressionante, se comparado com as outras duas medições do IDHM (em 1991 e 2000). Em 1991, Itapoá apresentava um índice considerado muito baixo de 0,487. Em 2000, um índice considerado médio, de 0,634. E, agora, 2013 (baseado nos dados medidos em 2010), este índice de 0,761 é considerado alto. O índice considera indicadores de longevidade (saúde), renda e educação. Itapoá apresentou 0,874 para longevidade; 0,739 de renda; e 0,682 de educação, seguindo uma tendência da média nacional, em que os melhores índices foram os da longevidade (saúde) e os piores os da educação.

O IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) mede o nível de desenvolvimento humano de determinada região. No atlas de 2013, o IDH foi calculado com  base nos dados do censo demográfico de 2010 do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

No atlas de 2003, as informações são as do censo de 2000, e, para 1998, a base de dados foi a de 1991. No entanto, neste ano, o Pnud mudou os critérios de aferição do índice, e atualizou os dados dessas duas pesquisas anteriores com base nesses novos critérios.

O IDH dos municípios vai de 0 a 1: quanto mais próximo de zero, pior o desenvolvimento humano; quanto mais próximo de um, melhor.

Levando em consideração toda a população brasileira, o IDHM do Brasil é de 0,727, considerado alto (faixa que varia de 0,700 a 0,799).


Todos os 50 municípios com pior IDHM no Brasil são do Norte e do Nordeste.
Das 5.565 cidades avaliadas pelo Pnud, só 44 (0,7%) têm índices muito altos de desenvolvimento humano. Na outra ponta, outros 32 municípios (0,5%) têm índices considerados muito baixos. Ao todo, 1.889 cidades têm IDHM alto (33,9%), outras 2.233 registram índices médios (40,1%) e 1.367 municípios têm IDHM baixo (24,5%).

Considerando as 50 cidades do país com melhor IDH, três saltaram entre 2003 e 2013 da classificação de "médio desenvolvimento humano" para "muito alto desenvolvimento humano": Nova Lima (MG), que registra 0,813 no IDHM, Rio Fortuna (SC), com IDHM de 0,806, e Rio do Sul (SC), que obteve índice de 0,802.

Entre os 50 municípios com pior IDHM, todos registraram evolução positiva no índice, embora permaneçam nas mesmas últimas colocações em relação aos levantamentos anteriores.


Do Diário de Itapoá, com informações do site de notícias G1.

 

Adicionar comentário

Política de Comentários DI

Ao efetivar um comentário, o internauta concorda com a nossa política de moderação.


Código de segurança
Atualizar