Debate sobre o repovoamento de peixes e questão do camarão no Litoral Norte Catarinense Imprimir E-mail
Política
Sex, 11 de Setembro de 2009 11:47

Aconteceu na tarde desta quinta-feira (10) a primeira reunião do grupo composto por técnicos e engenheiros para estudar a melhor solução para o repovoamento de peixes na Baía Babitonga, o cultivo de camarão na região Norte e a reativação do Laboratório de Larvas de Camarão, em Itapoá.


Esta primeira reunião é resultado de um encontro realizado na quarta-feira (9), na Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional (SDR) – Joinville, com a presença de engenheiros da Epagri, da Cidasc e da Fatma, representantes da Univille, Fundação 25 de Julho, Polícia Militar Ambiental, donos de pousadas e marinas da região. Também estavam presentes técnicos da SDR-Joinville e os prefeitos de Garuva (João Romão) e Itapoá (Ervino Sperandio).

Segundo o gerente Regional da Epagri, Onévio Zabot, a preocupação é quanto aos estoques de peixe na baía que estão diminuindo bastante ultimamente. “Precisamos repovoar para que as gerações futuras possam desfrutar deste ambiente. Estamos estudando formas para encontrar uma solução viável para estes casos”, afirma o gerente.

Durante o encontro, integrantes do Instituto Federal Catarinense apresentaram a necessidade do órgão de construir um laboratório para pesquisa e análise de animais aquaviários. Diante disso, o grupo propôs uma interação entre o Laboratório de Larvas em Itapoá e o Instituto. A intenção é de que as atuais instalações do Laboratório de Larvas sirvam como sede de pesquisas na área aquática do Instituto Federal Catarinense. Também na próxima reunião do Conselho de Desenvolvimento Regional (CDR), no dia 15 de outubro, em São Francisco do Sul, o tema será debatido amplamente com as lideranças da região Norte.

Já o secretário de Desenvolvimento Regional - Joinville, Manoel Mendonça, que coordenou a reunião, comenta que o assunto sobre o repovoamento de peixes e a questão do camarão no Litoral Norte devem ser discutidos amplamente. “Vamos iniciar com estudos para viabilização destes projetos. Um grupo está sendo formado para analisar”, destaca. Como resultado desta primeira reunião, ficou definido que um grupo estará se reunindo constantemente para discutir os assuntos.

Recentemente, o tema do cultivo deste crustáceo foi apresentado no Conselho de Desenvolvimento Regional (CDR) - Joinville pela médica veterinária Daniele Hoffmann, que comentou que o auge da produção de camarão em SC foi em 2004. “Após esse ano, houve queda de produção devido ao aparecimento da mancha branca no Estado. Atualmente, somente 17 fazendas estão em atividade contra as 111 que existiam em 2004”, ressaltou.

A foto é de Thiago Dias.

 

 

Adicionar comentário

Política de Comentários DI

Ao efetivar um comentário, o internauta concorda com a nossa política de moderação.


Código de segurança
Atualizar