Moção a Caetano Vargas e críticas ao comando da PM de Itapoá marcam a última Reunião Ordinária da Câmara Imprimir E-mail
Política
Qua, 27 de Outubro de 2010 00:30

Moção de Aplausos nº 07/2010 é entregue a Caetano VargasFoi realizada na noite dessa segunda-feira (25), a 32ª Reunião Ordinária da Câmara de Vereadores de Itapoá. Tal reunião foi presidida pelo Vice-Presidente da Mesa Diretora da Casa, o Vereador Daniel Silvano Weber, tendo em vista a ausência justificada do seu titular, o Vereador Joarez Antonio Santin (Barracão).

Deu entrada na Casa de Leis, o Projeto de Lei do Legislativo nº 44/2010, que proíbe o consumo de cigarros, cigarrilhas, charutos, cachimbos ou qualquer outro produto fumígero, derivado ou não do tabaco, na forma que especifica. Projeto, esse, de autoria do Vereador Jeferson Rubens Garcia (Jefinho).

A Ordem do Dia contava com a primeira votação do Projeto de Lei Complementar do Executivo nº 05/2010, que altera a Lei Complementar nº 05/2003 (que institui o Código de Obras do município de Itapoá, e dá outras providências). Tal projeto teve a sua votação adiada, devido ao pedido de vistas solicitado pelo Vereador Daniel. “Em análise que fiz, antes da Sessão, verifiquei que há dúvidas em relação à redação do Projeto, então eu solicito vistas ao mesmo”, disse o Vereador.

O Vereador Jefinho propôs o Requerimento nº 30/2010, no qual requer informações sobre a coleta de lixo seletiva (recicláveis) e a coleta de lixo hospitalar, bem como se já há algum trabalho de conscientização a respeito desse assunto no Município. O Vereador proponente justificou que seu requerimento se fez necessário devido a cobranças que tem recebido da comunidade. “Já está na hora de o nosso município fazer uma coleta seletiva, porque há muitos recicláveis na rua, apesar do recolhimento feito pelos carroceiros”, justificou Jefinho. O Requerimento nº 30/2010 foi aprovado por unanimidade.

O Vereador José Maria Caldeira indicou o ensaibramento das ruas 180, 190 e 200, na Barra do Saí; bem como a instalação de luminárias de iluminação pública na quadra 36 do bairro São José. Os vereadores Valdecir de Souza, Marcelo Antonio Tessaro, Daniel Silvano Weber, Jeferson Rubens Garcia, José Maria Caldeira e Osni Ocker, em conjunto, indicaram a retirada dos animais de pequeno e grande porte das ruas do Município. A Vereadora Márcia Regina Eggert Soares indicou a troca das lâmpadas queimadas nos postes da quadra da Escola de Educação Básica Nereu Ramos, especificamente, na Avenida Pérola do Atlântico, em frente ao ginásio de esportes; bem como a instalação de ponto de ônibus na Avenida Ana Maria Rodrigues de Freitas, para que os alunos da Escola Nereu Ramos tenham um ponto de ônibus decente e um local adequado para o embarque e desembarque nos ônibus. Por fim, todos os Vereadores, em conjunto, indicaram o custeio das despesas com o funeral de Maria Isabel de Jesus, por parte da Assistência Social do Muncípio.



Moção de Aplausos nº 07/2010

Esteve em votação, a Moção de Aplausos nº 07/2010, que parabeniza e congratula o atleta itapoaense Caetano Meireles Vargas, de autoria conjunta de todos os vereadores. Por meio da Moção, a Câmara de Vereadores parabeniza e congratula o atleta Caetano Vargas, tendo em vista a conquista do campeonato Super Surf Series 2010, a qual, segundo a proposição, deve ser saboreada por todos os itapoaenses. O Vereador Jefinho cumprimentou a Caetano e seus familiares, que estavam presentes na Reunião. “Quando eu trouxe a ideia de se fazer a Moção ao Caetano, recebi o amplo apoio de todos os Vereadores da Casa”, disse o Vereador. O Vereador Caldeira parabenizou o atleta. “Já vi o Caetano indo a vários campeonatos para os quais, muitas vezes, ele precisou recorrer a vaquinhas para conseguir o dinheiro necessário. Também não foram poucas as vezes em que observei a mãe de Caetano recorrendo ao comércio e pedindo apoio para o filho poder representar Itapoá.”, lembrou Caldeira. O Vereador Izaque Goes citou que as conquistas do surfista Caetano Vargas é motivo de muito orgulho para Itapoá. “Fiquei muito feliz quando vi no jornal A Notícia, a sua foto, com aquele belo carro (prêmio pela conquista). Desejo que esse seja apenas o começo de uma carreira profissional de muito sucesso”, disse o Vereador. A Vereadora Márcia Regina Eggert Soares parabenizou Caetano e sua família. “Hoje, ainda, quando eu estava lecionando a disciplina de legislação, junto ao 1º ano técnico, da Escola Nereu Ramos, falávamos exatamente disso: o ser humano vive de escolhas e o Caetano sempre fez boas escolhas. Hoje, quando falamos de surfe, as crianças e adolescentes citam o Caetano Vargas como referência”, comentou a Vereadora. O Vereador Tessaro fez coro às palavras dos demais vereadores. “O Caetano cresceu junto com o nosso Município, tendo idade praticamente igual à de emancipação de Itapoá. É muito gratificante quando pegamos um jornal e vemos que um menino de Itapoá persistiu e chegou aonde chegou Caetano. Ficamos na torcida para que ele chegue ainda muito mais longe”, disse o Vereador. O Vereador Valdecir de Souza também parabenizou Caetano Vargas. “Te desejo muita sorte e que você seja muito feliz em sua carreira”, comentou o Vereador. Por fim, o Vereador Daniel disse ter testemunhado o esforço de Caetano e de seus familiares para que o atleta chegasse aonde ele chegou. “Infelizmente, as ajudas governamentais sempre foram pequenas. Precisamos rever isso. Caetano, receba essa singela homenagem do Legislativo como um reconhecimento pelo esforço que você teve para chegar aonde chegou”, completou o Vereador. A Moção de Aplausos nº 07/2010 foi aprovada por unanimidade.


A imagem foi extraída do blog particular do surfista Caetano Vargas.



Críticas ao Comando da PM de Itapoá


Vários assuntos foram discutidos no uso do espaço regimental dos vereadores, mas o destaque ficou por conta das críticas feitas às ações do comando da Polícia Militar de Itapoá. A Vereadora Márcia disse ser um assunto muito sério e assustador, a forma como tem agido o comando da PM no Município. “Não podemos permitir que um Tenente atire para o chão, dentro de uma casa noturna, com 500 jovens em seu interior, e ache isso normal, para assustar, coibir e colocar o jovem na parede. Isso não existe. Não podemos permitir que os nossos filhos corram esse risco de vida. Segundo o Comando da PM, houve o apoio do Ministério Público, do Conselho Tutelar e do Comissário da Infância e Adolescência. O Comissário deveria estar lá dentro, o Conselho Tutelar também, mas a Polícia Militar lá fora. Não poderiam ter entrado da porta para dentro, de forma alguma. Eles deveriam aguardar e dar segurança aos funcionários responsáveis por esse papel. A PM percebeu que não tinha nada de errado no momento e, mesmo que tivesse, eles não teriam o poder de fazer o que fizeram. O Tenente não pode dar tiro em local fechado. Ele poderia ter tomado qualquer outra atitude, menos ter dado um tiro no chão. Os nossos jovens não estão acostumados com isso aqui na Cidade. Temos poucos bandidos e muitos cidadãos de bem em Itapoá. Não se pode tratar todo mundo igual. Tratem bandido como bandido e gente de bem como gente de bem. A Polícia Militar possui um setor de inteligência que, quando existe denúncia, é preciso fazer um trabalho amplo, colocando policiais à paisana dentro do local antecipadamente. De 500 jovens, apenas um adolescente era menor de idade. Dos 500, nenhum portava drogas ou armas, sinal de que nossos jovens sabem o que estão fazendo. Como em qualquer outro local de Itapoá, as casas noturnas contam com todos os tipos de pessoas, mas principalmente pessoas de bem. A operação foi realizada de forma muito errada e eu estou repudiando a atitude do Tenente. Ele colocou em risco de morte os jovens de Itapoá e eu não admito isso. Eu trabalho com os jovens e sei, exatamente, o que eles representam para Itapoá. Eles serão o nosso futuro e não é dessa forma que se repreende as pessoas, não. Podem achar o que quiserem. Minha opinião é essa e eu tenho o direito de expressá-la. Mais uma vez, erraram e erraram feio. O proprietário da casa noturna em questão saiu lesado. A imagem dele foi lesada. A solução da segurança pública de Itapoá está muito longe das atitudes que a PM vem tomando. Não é a primeira vez que o Tenente aponta a arma a pessoas de bem e, inclusive, eu já reclamei disso pessoalmente com ele, mas agora, em público, fiquei muito mais preocupada. Existe um desiquilíbrio emocional e precisamos fazer com que o Tenente procure um tratamento para a saúde dele", considerou a Vereadora.

O Vereador Daniel também se disse preocupado com a ação da PM de Itapoá. “Nada contra uma batida policial em qualquer estabelecimento. Acho até válida e importante, para levar segurança às pessoas de bem que frequentam essas casas noturnas, os bares do nosso município e, enfim, todos os lugares de Itapoá. Me preocupa a forma e o comando que estes comandados estão tendo na pessoa do Tenente Mário Elias. Deixo bem claro que não tenho nada contra a pessoa do Tenente, mas sim contra a atitude tomada, que colocou em risco a vida de muitas pessoas de bem que frequentavam a casa noturna na hora do ocorrido. Não tinha ninguém armado lá dentro, mas e se tivesse? Se houvesse um bandido armado, que revidasse a atitude em que o Tenente deu o primeiro tiro? Quantas pessoas poderiam ser lá feridas ou mesmo executadas. Concordo com a Vereadora Márcia de que o Tenente, de repente, precise de um tratamento. Vamos comunicar o Comando Geral da Polícia Militar de Santa Catarina, para que tomem conhecimento do fato. Cabe, até mesmo, uma Moção de Repúdio deste Poder Legislativo, contra a forma com que esse Tenente vem comandando a Polícia Militar de Itapoá. Eu não poderia me calar, porque represento o povo itapoaense e fui procurado a respeito desse caso. Muito me estranhou a forma com que foi colocado no site Diário de Itapoá essa notícia, dizendo que a Promotoria Pública também estava dando apoio à operação. Temos que oficiar a Promotora para saber se ela estava presente no ato, pois se estava, foi conivente com o que ocorreu” considerou o Vereador Daniel.

O Vereador Jefinho informou que a casa noturna em questão está em perfeita ordem de funcionamento, com todos os alvarás e licenças necessárias. Ele comentou, ainda, acerca da idoneidade do proprietário da casa. “Eu sei do profissionalismo do Tony. Uma pessoa que está levando a coisa a séria. Um profissional”, disse o Vereador.

O Vereador Izaque Goes fez coro aos demais vereadores que comentaram as atitudes do Tenente Mário Elias, da Polícia Militar. “As consequências dessa atitude desastrosa do Tenente, disparando uma arma de fogo dentro de uma casa noturna, pelo horário e pela quantidade de pessoas lá dentro, poderiam ter sido trágicas por várias formas: seja por essa bala ter, acidentalmente, atingido uma pessoa inocente, seja por essa bala ter ricocheteado no chão e na parede e ter atingido algum inocente, seja porque poderia causar um pânico geral, ocasionando um pisoteamento. As consequências dessa atitude eram totalmente imprevisíveis. Muito me admira terem escolhido o Muvee. Sem querer puxar sardinha para esse ou aquele empresário, mas eu já frequentei algumas vezes o Muvee, conheço a família, os proprietários, enfim, os meninos que tocam a casa e eu nunca vi e nem soube, nem deles e nem de clientes, que lá dentro se faz o uso de drogas. Confesso que conheço e já frequentei outras casas aqui do Município e no Muvee não há nada de diferente do que ocorre em todas as outras casas. Não houve relatório da quantidade de droga encontrada, tampouco quantidade de armas, o que prova, realmente, que a ação foi desnecessária e desproporcional. Haviam como fazer isso de forma responsável, com já comentou a Vereadora Márcia. Tiro de advertência, a Polícia Militar só está autorizada a efetuar em casos de uma desordem ou de uma ameaça contra a própria polícia e, geralmente, precisa ser para o alto, jamais para o chão. Estou perplexo. Está aí mais uma ação deslocada e desastrosa desse comandante. Eu acredito que esse fato precisa ser levado adiante. Precisa ser denunciado à corregedoria e solicitado, inclusive, a suspensão da atividade do Tenente. Não há mais como ele continuar no comando”, comentou o Vereador. O Vereador Izaque lembrou, ainda, de outras situações que considerou falhas por parte do atual comando da PM de Itapoá. “ Uma situação que não ficou bem explicada foi aquela troca de tiros que ocorreu no balneário Bamerindus, em que a Polícia, à noite, identificou os bandidos e eram determinados assaltantes. Como é que a Polícia, à distância, soube identificar que eram os ladrões que estavam assaltando à mão armada em nossa Cidade? Pararam o carro, de frente um para o outro, trocaram tiros, e os caras fugiram pela praia. A Polícia, com todo o seu aparato, em que foi chamado gente de folga e tudo mais, até hoje não se soube de mais nada. Essa notícia, ao meu ver, está pedindo, ainda, esclarecimentos. Estive na Delegacia de Polícia Civil para ver se houve o registro desses fatos e a Polícia Militar não havia providenciado o registro dessa ocorrência. Outro caso bastante curioso ocorreu próximo ao meu escritório na última quinta-feira (21), relacionado a um acidente que poderia ter terminado de forma trágica, não fosse os desígnios de Deus, que protegeu as pessoas que estavam no veículo envolvido. Vinha, da área dos Guinter's, no sentido Itapema, um veículo conduzido por um militar, em altíssima velocidade, que perdeu o controle do mesmo antes de chegar na Rua 1.100 e foi para cima de um veículo Parati, que conseguiu desviar, mas mesmo assim foi atingido e o carro do militar saiu capotando, vindo a parar próximo à esquina do meu escritório. Chegamos lá, o carro com as rodas para cima e o camarada aparentemente morto lá dentro. Chamamos e ninguém respondeu. Nos aproximamos e viramos o carro, eu e um pedreiro que ali trabalhava, e o camarada inconsciente. Em seguida, acionamos os bombeiros e também o PA (Pronto Atendimento). Depois de um certo tempo, chegou uma viatura dos bombeiros que mal cabia o sujeito. O pior de tudo é que havia fortes suspeitas de que o condutor do veículo estava com o teor alcoólico elevado. Em seguida, eu reparei que o outro veículo envolvido saiu do local e foi embora. No outro dia, eu perguntei ao motorista desse outro veículo o porquê de ele ter saído antes da Polícia Civil chegar e elaborar o laudo e ele me disse que a Polícia Militar o havia mandado embora, liberando-o. A hora em que eu vi ele saindo, percebi que ele dependeria de testemunhas e de uma série de fatores, caso o outro motorista não pague voluntariamente pelos danos”, disse o Vereador, que ainda comentou a história de uma pessoa que precisou dos préstimos da Polícia Militar e a PM encarou o caso como sendo um trote. “Eu apoio uma Moção de Repúdio e, mais, apoio um oficio da Câmara, solicitando que a corregedoria da PM providencie o afastamento do nosso espalhafatoso Comandante”, completou.


Confira a gravação da Sessão Ordinária da Câmara de Itapoá do dia 25/10/2010

 

Adicionar comentário

Política de Comentários DI

Ao efetivar um comentário, o internauta concorda com a nossa política de moderação.


Código de segurança
Atualizar