Criminosos tentam incendiar ônibus em Itapoá com coquetel molotov Imprimir E-mail
Policial
Sáb, 16 de Fevereiro de 2013 14:51

atentado em ônibus em ItapoáOnda de ataques criminosos em Santa Catarina chegou a Itapoá. Na madrugada deste sábado (16), às 04h55, a Polícia Militar de Itapoá foi acionada, após um ataque criminoso com arma incendiária a um ônibus da empresa Transita, em Itapoá.


Conforme o boletim da PM de Itapoá, populares informaram a central 190, que na Avenida André Rodrigues de Freitas, havia um ônibus da empresa Transita pegando fogo. Ao chegarem ao local, os policiais conseguiram conter as chamas usando extintores das viaturas da PM. No interior do ônibus, foi encontrado um coquetel molotov, que foi atirado contra o vidro direito do ônibus. Devido a rápida chegada das guarnições, as chamas foram contidas, e não houve maiores danos, com exceção do vidro direito dos fundos que foi quebrado pelo coquetel molotov. Foram efetuadas rondas nas imediações, porém nenhum suspeito foi encontrado.


Fonte: Polícia Militar de Itapoá, com adaptações do Diário de Itapoá.


Ataques criminosos em Santa Catarina: Força Nacional transfere 40 presos após ataques em Santa Catarina.

O governo de Santa Catarina reagiu à onda de ataques que já provocou mais de cem atentados no estado. Só nas últimas horas, foram registrados mais de cinco ataques. Ônibus foram incendiados e uma base da Guarda Municipal foi atingida por tiros. A Força de Segurança Nacional também entrou em ação e transferiu 40 presos para outros estados. A polícia de Santa Catarina prendeu 70 pessoas ligadas aos ataques.

Eram três horas da manhã quando tropas da PM e da Força Nacional de Segurança cercaram as penitenciárias. Foi o começo de uma grande operação para remover os bandidos mais perigosos do estado.

O trabalho de transferência ficou a cargo de agentes prisionais fortemente armados. A Força Nacional foi chamada para cuidar da segurança dos presídios e evitar possíveis rebeliões.

A equipe de reportagem do Jornal Hoje acompanhou uma das operações na penitenciária de Criciúma, no sul do estado. Nela, foram identificados sete presos que comandavam os ataques em Santa Catarina.

A operação foi rápida. Os detentos passaram por uma revista antes de entrarem algemados nas viaturas que seguiram em comboio para Florianópolis. Ao todo, 40 presos de sete penitenciárias em todas as regiões do estado foram transferidos na operação relâmpago da madrugada.

Ao mesmo tempo, bandidos respondiam com novos ataques. Três ônibus foram incendiados em cidades do interior de Santa Catarina. Em Balneário Rincão, no sul do estado, criminosos tentaram queimar a casa da irmã de um policial civil. Também fizeram disparos contra uma base da Guarda Municipal em São José, na Grande Florianópolis. Ninguém ficou ferido.

Pouco antes do amanhecer, os comboios entravam na Base Aérea da capital, onde os presos foram examinados por médicos e depois entregues a autoridades federais.
Em Florianópolis, o ministro da Justiça José Eduardo Cardozo comentou outra ação da policial contra a criminalidade: a prisão de 70 pessoas suspeitas de ligação com os atentados. No final da manhã, os 40 criminosos foram levados em um avião da FAB para as penitenciarias federais de Mossoró, no Rio Grande do Norte, e Porto Velho, em Rondônia.

Fonte: Site do Jornal Hoje – Rede Globo.

 

Adicionar comentário

Política de Comentários DI

Ao efetivar um comentário, o internauta concorda com a nossa política de moderação.


Código de segurança
Atualizar