Polícia Civil deflagra operação no Norte de SC contra tráfico de drogas e para combater facções criminosas Imprimir E-mail
Policial
Sex, 08 de Fevereiro de 2013 12:35

Brasão da Polícia Civil de Santa Catarina.Uma operação deflagrada por policiais civis de Itapoá, Joinville, Garuva e da Diretoria Estadual de Investigações Criminais- DEIC - de Florianópolis, com apoio da Polícia Militar de Itapoá, resultou na condução de 11 pessoas para a Delegacia de Polícia de Itapoá, na manhã desta sexta-feira (08).  O objetivo da ação foi combater a principal fonte de renda das facções criminosas, responsáveis por recentes atentados contra a segurança pública: o tráfico de drogas. Quatro pessoas foram presas em flagrante por porte de arma, tráfico e associação para o tráfico de entorpecentes.


De acordo com o delegado Gilberto Crepaldi Mondini, que coordenou os trabalhos, o dinheiro ilícito, arrecadado através do comércio de entorpecentes, é o financiador dos criminosos e do crime organizado. “Seja alimentando com drogas o vício dos usuários, pagando para a prática de atentados ou comprando armas, o tráfico é combustível da marginalidade. Dessa forma, exterminando a fonte de renda do crime, também desarticulamos as organizações criminosas”.

Na região, foram cumpridos 12 mandados, sendo 9 de busca e a apreensão em Itapoá e 1 em Guaratuba, no litoral paranaense, além de 2 mandados de prisão temporária, por tráfico, também em Itapoá.

Do total de conduzidos, quatro pessoas foram presas em flagrante e outras duas temporariamente, todas por tráfico. Os outros sete conduzidos serão investigados em inquéritos policiais.

Foram presos em Itapoá: Ademar Martins, 28 anos, por tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo. Ele estava de posse de uma pistola 380mm.; Valquíria dos Santos, 37 anos, por tráfico de drogas; Luzia Quirino de Meira, 52 anos, também por tráfico de entorpecentes. Em Guaratuba, no litoral Paranaense, Modesto da Cruz Liecheski dos Santos, foi preso por tráfico e porte ilegal de arma de fogo. Ele portava um revólver calibre 38.


O esquema criminoso

De acordo com as investigações, Modesto era o líder do tráfico na região. Ele repassava os entorpecentes de Guaratuba (PR), onde morava, para Ademar, o qual, em Itapoá, tinha duas outras principais distribuidoras: Valquíria e Luzia. Elas eram responsáveis pela venda direta aos usuários ou traficantes menores. Todos os presos também serão investigados por envolvimento com facções criminosas.

Além da pistola 380mm e do revólver calibre .38, a ação dos policiais resultou ainda na apreensão de 50 pedras de crack e mais 200g da droga acondicionada em frações maiores; 50g de cocaína divididas em duas pedras grandes, duas balanças de previsão e, aproximadamente, R$ 1,3 mil em dinheiro.


Do site da Polícia Civil de Santa Catarina, com adaptações do Diário de Itapoá.

Última atualização em Sáb, 09 de Fevereiro de 2013 20:03
 

Adicionar comentário

Política de Comentários DI

Ao efetivar um comentário, o internauta concorda com a nossa política de moderação.


Código de segurança
Atualizar