Situação das obras na SC-415 preocupa Câmara Municipal de Vereadores de Itapoá Imprimir E-mail
Obras
Sex, 02 de Abril de 2010 14:57

Obras SC-415A Situação das obras na Rodovia SC-415 foi o principal debate do espaço regimental da Câmara de Vereadores de Itapoá, na última Sessão Ordinária da Casa, realizada nessa segunda-feira (29 de março). A situação foi levantada para todo o estado catarinense por meio do Jornal A Notícia, no último domingo (28 de março), matéria essa retransmitida pelo Diário de Itapoá.


Na última semana, a empresa Fortunato, responsável pela obra de pavimentação da SC-415, realizou a adequação da rodovia entre o Centro de Itapoá e o bairro Saí Mirim. No trecho entre o Corpo de Bombeiros de Itapoá e a empresa de material de construção Zagonel, foi depositando brita e solucionando o problema de buracos na pista.


Segundo um motorista do transporte público que preferiu não se identificar, "A brita não vai resolver o problema por muito tempo. É preciso asfaltar logo esse trecho. Basta começar o asfalto pelo lado de Itapoá".


Segundo o Vereador Marcelo Antonio Tessaro, que esteve no local, a situação da estrada é preocupante. “Estive visitando a SC-415, mas só pude visitar 2.000 metros, porque a estrada estava sem condições de tráfego. Vários carros não conseguiram passar, apenas um Jeep 4X4”, contou o Vereador.

O Vereador Izaque Goes defende que o Município não deve abrir mão da proibição, que existe por lei, de que os caminhões trafeguem por dentro da Cidade. “Se eles falharam na execução da obra, não é a comunidade que terá que pagar o preço. A comunidade rural já está sofrendo muito com essa situação. Estão sofrendo calados”, comentou.

Segundo o Presidente da Câmara, Vereador Joarez Antonio Santin, uma outra questão preocupante é em relação ao Decreto da Prefeitura que desapropria a via José Alves. “Devemos fazer uma reunião com a comunidade para ver se estão satisfeitos com essa situação, pois a Câmara pode derrubar um Decreto da Prefeitura, de acordo com o interesse da comunidade. Será que eles estão satisfeitos que a estrada passe na frente da casa deles ou não?”, indagou o Presidente.

O Vereador Jeferson Rubens Garcia cita a preocupação do Prefeito, conforme publicado no jornal A Notícia. “A grande preocupação é que o Município pode deixar de arrecadar R$ 500 mil mensais, pois esse é o valor inicial de ISS (Imposto sobre Serviço) que o Município arrecadaria com as operações do Porto”, conta. O Vereador Daniel Silvano Weber complementa as palavras do Vereador Jeferson, citando a pressão que ocorrerá por conta dessa arrecadação. “Diante da preocupação do Prefeito Municipal, a pressão será muito grande para que os caminhões passem no interior de nosso Município. O Prefeito, seja quem for, não vai abrir mão dos R$ 500 mil mensais para que os caminhões não passem pela área urbana de Itapoá”, completou.

Informações dão conta de que a F. Andreis (empresa que atua no ramo de locação de embarcações) já possui um pedido de licença para realizar o transporte de contêineres de Laranjeiras (São Francisco do Sul) até o Porto de Itapoá, levando para o município vizinho, São Francisco do Sul, a arrecadação referente ao imposto sobre esse serviço.

O Presidente da Câmara, Vereador Joarez Antonio Santin, solicitou que as Comissões convidassem um representante legal da Empreiteira Fortunato, bem como o Superintendente do Porto de Itapoá para discutirem essa situação. “Temos que pressionar, porque se tivéssemos um calado natural de três metros de profundidade, ninguém dava bola para Itapoá. Não é o Governo que está sendo bonzinho com o Município e, sim, a natureza que nos privilegiou”, concluiu o Presidente da Casa.

As Comissões já oficiaram as autoridades e, em breve, a Câmara deverá trazer novidades sobre o tema.

 

Adicionar comentário

Política de Comentários DI

Ao efetivar um comentário, o internauta concorda com a nossa política de moderação.


Código de segurança
Atualizar