Presidente do Ibama garante liberação da licença para dragagem do canal de acesso ao Porto de São Francisco do Sul e tema preocupa Itapoá Imprimir E-mail
Natureza
Qua, 16 de Junho de 2010 20:10

Dragagem do canal de acesso ao Porto de São Francisco do Sul pode complicar ainda mais a erosão da orla itapoaenseO Presidente do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), Abelardo Bayma, garantiu ao Governador do Estado, Leonel Pavan, e ao Presidente do Porto de São Francisco do Sul, Paulo César Cortês Corsi, que até o final deste mês de junho será liberado o licenciamento ambiental para o início das obras de dragagem do canal de acesso, da baia de evolução e atracação do Porto de São Francisco do Sul. "Após a liberação da licença ambiental, iremos marcar um ato em São Francisco do Sul, onde assinaremos a ordem de serviço para dar início à obras", confirmou o ministro da Secretaria Especial de Portos, Pedro Britto, ao governador Pavan.

O assunto preocupa muito as autoridades de Itapoá., pois em reunião realizada no dia 18 de setembro de 2009, na Câmara Municipal de Itapoá, o Dr. Professor Rodolfo José Angulo da UFPR, inicialmente, disse que provavelmente a falta de areia das praias de Itapoá esteja ligada à dragagem do canal do Porto de São Francisco do Sul.

Segundo o Ex-Secretário Municipal do Meio Ambiente, Carlos Henrique Pedriali Nóbrega, em reunião realizada no dia 27 de março de 2009, se acontecer mais uma ou duas fortes ressacas em Itapoá, não será destruída uma construção ou outra, mas centenas de imóveis à beira-mar. Ele disse, ainda, que algo tem que ser feito urgentemente, pois considera que em menos de 10 anos todos os imóveis à beira-mar estarão comprometidos se nada for feito.

Em matéria publicada em 27 de maio deste ano (2010), o Diário de Itapoá divulgou a movimentação da Câmara de Vereadores do Município em torno do assunto. Em nome da Comissão Especial de Estudos da Erosão Costeira do Município, o Vereador Valdecir de Souza, que presidiu a referida Comissão, solicitou, no último dia 17 de maio, o envio de alguns ofícios aos órgãos envolvidos nesse processo. O primeiro ofício foi enviado ao ao Porto de São Francisco do Sul, aos cuidados de seu Presidente, Sr. Paulo Corsi, solicitando informações sobre os estudos hidrográficos que seriam contratados pelo próprio Porto e executados pelo INPH (Instituto Nacional de Pesquisas Hidrográficas) do Rio de Janeiro. Um segundo ofício foi enviado à Capitânia dos Portos de São Francisco do Sul, esse com cópia ao Ministério Público Federal de Joinville, solicitando investigação sobre o início da dragagem e/ou derrocamento do canal de acesso ao Porto de São Francisco do Sul sem as devidas licenças ambientais de execução.

Tais ofícios, até o momento, não foram respondidos e tudo indica que, mais uma vez, o interesse econômico que envolve o assunto falará mais alto, deixando Itapoá, literalmente, “a ver navios” no que diz respeito à sua orla, apesar do esforço das autoridades locais.




 

Adicionar comentário

Política de Comentários DI

Ao efetivar um comentário, o internauta concorda com a nossa política de moderação.


Código de segurança
Atualizar