Audiência Pública referente ao Relatório de Impacto Ambiental da Linha de Transmissão 138 kV, Itapoá - Tecon SC Imprimir E-mail
Natureza
Ter, 11 de Maio de 2010 18:42

A Fundação do Meio Ambiente (Fatma) realizou, nesta segunda-feira, 10 de maio, às 19hs, na sede da Associação das Comunidades de Pontal e Figueira (Acopof), Audiência Pública referente ao Estudo de Impacto Ambiental/Relatório de Impacto Ambiental (EIA/RIMA), para licenciamento da Linha de Transmissão 138 kV, Itapoá - Tecon SC, da empresa Itapoá Terminais Portuários S.A. A linha de transmissão, com investimento de R$ 6,2 milhões do próprio Tecon SC, irá viabilizar o funcionamento do empreendimento, além de proporcionar energia para a comunidade local. “Itapoá sofre constantemente com apagões e com esta nova linha, teremos mais qualidade no fornecimento de energia”, afirmou o prefeito Ervino Sperandio, que participou da audiência acompanhado do vice-prefeito, Mário Elói Tavares. Cerca de 150 pessoas, moradores da comunidade de Itapoá e região, autoridades, representantes da Fatma e do Tecon SC compareceram a audiência pública.

O engenheiro ambiental do Tecon SC, Gabriel Telles, apresentou detalhes da instalação da linha de transmissão de 138 kV. Serão 6.807 metros de extensão, da subestação da Celesc na localidade de Barreiro até o Porto de Itapoá, com 21 torres de 47 metros de altura, sendo 17 metálicas e quatro de concreto. O prazo da obra, que segue especificações técnicas para gerar a menor interferência ambiental possível, é de seis meses a partir do licenciamento da Fatma e irá empregar até 90 trabalhadores na sua execução. “Desde o início das obras do Terminal Portuário nos preocupamos para que a comunidade de Itapoá tivesse conhecimento prévio de todas as fases do empreendimento. Buscamos também na instalação desta linha de transmissão, que será doada para a Celesc, a harmonia entre o desenvolvimento econômico, o controle ambiental e a geração de emprego e renda”, afirmou o diretor superintendente, Gabriel Vieira.

Fernando Diehl, técnico da RioInterport/Acquaplan, responsável pela produção do EIA/RIMA, esclareceu os aspectos positivos e negativos do impacto da obra para a região. Após as explanações foi aberto espaço para perguntas do público presente. As poucas manifestações foram para solicitar esclarecimentos sobre o uso do espaço próximo e abaixo das torres nas propriedades por onde passará a linha de transmissão. A partir desta audiência, a Fatma dará prosseguimento ao processo para concessão do licenciamento.

Informações da Assessoria de Imprensa do Tecon-SC.

 

Adicionar comentário

Política de Comentários DI

Ao efetivar um comentário, o internauta concorda com a nossa política de moderação.


Código de segurança
Atualizar