Moradores da Barra do Saí vão à Fatma de Joinville revindicar licença ambiental para dragagem do Rio Saí Mirim Imprimir E-mail
Natureza
Qua, 21 de Abril de 2010 09:30

Conforme vem sido discutido nos últimos dias, o assoreamento do Rio Saí Mirim preocupa, e muito, os moradores da Barra do Saí.


A dragagem desse rio facilitaria a vida dos pescadores, que dependem da maré alta para o desempenho de seus trabalhos, bem como dos moradores da região, que vêm sofrendo com as frequentes enchentes.

Ao receberem a informação de que a Prefeitura Municipal de Itapoá já havia solicitado liberação de Licença Ambiental junto à Fatma (Fundação do Meio Ambiente de Santa Catarina) e de que o processo estava tramitando junto à Fundação, representantes da Associação de Moradores da Barra do Saí e dos pescadores do bairro estiveram na sede da Fatma em Joinville, revindicando agilidade no processo de liberação da referida licença. Na ocasião, foram informados de que faltava a apresentação de alguns documentos, motivo pelo qual o processo encontrava-se parado. Após exporem a situação emergencial em que o assoreamento do Rio Saí Mirim se encontra, receberam a informação de que o processo pode ser muito mais rápido e que, na situação atual, uma solicitação da Promotora da Comarca pode ser suficiente para a liberação da Licença Ambiental requerida, com muito menos burocracia e sem a necessidade dos documentos que faltam no atual processo.

Uma reunião junto à Promotoria do Município de Itapoá foi agendada para o próximo dia 28 de abril (quarta-feira), às 18 horas, ocasião pela qual será requerido da Promotora da Comarca de Itapoá, Dra. Bárbara Elisa Heise uma solicitação para que a dragagem do Rio seja liberada o mais breve possível.


 

Adicionar comentário

Política de Comentários DI

Ao efetivar um comentário, o internauta concorda com a nossa política de moderação.


Código de segurança
Atualizar