Mar avança e construções às margens da Baía da Babitonga, próximas ao óleoduto da Petrobras, ficam em situação de risco Imprimir E-mail
Natureza
Seg, 12 de Abril de 2010 07:05

Loteamento de acréscimo agora sofre com processo reverso do mar. Residências estão ameaçadas.


Casas de moradores e turistas à beira mar estão em situação de risco, devido ao acentuado processo erosivo da orla da Babitonga.


Conforme apurado pelo DI, uma faixa de terra localizada entre o óleoduto da Petrobras e a antiga peixaria do Calanga, no Pontal do Norte, estão com sérios problemas devido ao processo erosivo da orla. Diversas medidas já foram tomadas pelos moradores, mas até agora nada resolveu de forma definitiva. Entre essas medidas, sacos da areia, pedras e gabiões foram depositados na orla, porém o avanço do mar é devastador, e com a ressaca do final de semana, a situação se agravou ainda mais.

Essa área, no passado, foi muito contestada por moradores da região, inclusive organizados em uma associação que lutava pela não regularização da área em questão. Segundo relatos, a associação questionava que a área era transitória e foi formada pelo movimento da maré, e assim essa área não era natural do lugar. Anos após, provou-se que os membros da associação estavam certos, e as áreas comercializadas nessa região estão seriamente comprometidas.

O problema da orla acontece em praticamente todo o Município, mas é no Pontal que esse processo é mais evidente.

Baía da Babitonga

A exuberante Baía da Babitonga, no Pontal do Norte, é um dos principais pontos turísticos de Itapoá.


 

Adicionar comentário

Política de Comentários DI

Ao efetivar um comentário, o internauta concorda com a nossa política de moderação.


Código de segurança
Atualizar