Autorizado repasse de multa ambiental para construção de Centro de Referência em Florestas na Reserva Volta Velha, em Itapoá Imprimir E-mail
Natureza
Qua, 16 de Setembro de 2015 18:43

A Justiça autorizou o Ministério Público Federal (MPF) a transferir recursos de multa ambiental à Associação de Defesa e Educação Ambiental (ADEA) para execução do projeto de implantação do Plano de Manejo da Reserva Volta Velha, sediada em Itapoá. Conforme o Presidente da ADEA, no total, o MPF reservou R$ 570 mil ao custeio do projeto da entidade.

Além do Plano de Manejo, a ADEA também vai estruturar a reserva, que, entre outras ações, presta apoio a pesquisadores, projetos de conservação, educação ambiental e atividades voltadas ao ecoturismo.

A associação foi selecionada pelo MPF para aplicar os recursos de multa estipulada pela Justiça para a empresa de navegação Norsul. Em 2008, um rebocador e uma barcaça da companhia emborcaram, causando o derramento de 116 mil litros de óleo na entrada da Baía Babitonga. Segundo o primeiro-secretário da ADEA, Werney Serafini, as obras deverão começar com a readequação da pista de acesso à reserva. O objetivo é construir um Centro de Referência em Florestas Costeiras para servir de base a pesquisadores, estudantes e iniciativas dirigidas à produção de conhecimento sobre o bioma, fauna e flora locais.

“As estruturas de alvenaria e as bases de sustentação da obra deverão ser concluídas até o fim do ano. A limpeza da estrada está concluída e devemos nos concentrar na construção das estruturas do centro de referência para inaugurarmos a obra até maio de 2016”, afirma. No total, o MPF reservou R$ 570 mil ao custeio do projeto da entidade.

Projeto Babitonga Ativa

O Projeto Babitonga Ativa busca integrar a população, o poder público e a iniciativa privada em defesa da saúde da Baía Babitonga (SC), abrigo de rica biodiversidade, inclusive de espécies animais ameaçadas de extinção, e de três importantes ecossistemas brasileiros da mata atlântica: floresta ombrófila, restinga e manguezal. É executado pela Universidade de Joinville (Univille) por meio da Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários com recursos garantidos pela Justiça Federal em termo de ajustamento de conduta originado de multa ambiental.

Fonte e fotos: Projeto Babitonga Ativa – Univille, com adaptações do Diário de Itapoá.

 

Adicionar comentário

Política de Comentários DI

Ao efetivar um comentário, o internauta concorda com a nossa política de moderação.


Código de segurança
Atualizar