ADEA desenvolve projeto sobre a avifauna de Itapoá Imprimir E-mail
Natureza
Dom, 09 de Fevereiro de 2014 15:39

Tangará em Itapoá.Ouvir o canto de um pássaro ou vê-lo voar rente à janela é um dos grandes diferenciais de Itapoá, que proporciona um encontro diário com a natureza em várias cores e ritmos. Conforme o site Wikiaves, o Município tem 293 espécies diferentes e está entre as 50 cidades brasileiras com mais aves catalogadas, marcando presença na rota de observadores de aves do mundo inteiro; porém muitos moradores desconhecem ou pouco sabem sobre a avifauna local. E para mudar esse cenário, um grupo de amantes da natureza itapoaense está desenvolvendo o Projeto Avifauna de Itapoá.

Pesquisa e divulgação são os objetivos do Projeto coordenado pela ADEA (Associação de Defesa e Educação Ambiental). A cada mês, os participantes escolhem uma espécie diferente de ave presente no Município e, a partir de pesquisa, é elaborado um artigo ilustrado com fotos e divulgado através da newsletter da ADEA.

Werney Serafini, presidente da ADEA, conta que a ideia surgiu de uma sucessão de fatos. “Desde pequeno, gosto das aves e Itapoá as tem de todos os tipos. Na RPPN (Reserva Particular do Patrimônio Natural) Fazenda Palmital – Reserva Volta Velha, tive acesso ao primeiro inventário avifaunistico e fiquei impressionado com a existência de tantas aves”, afirma. Assim, a partir da potencialidade de Itapoá, surgiu a ideia de reunir informações para a divulgação dessa preciosidade que a natureza proporcionou.

O inventário avifaunístico foi realizado em 1992 pelo biólogo, ornitólogo e pesquisador Celso Darci Seger, que faz parte do projeto como consultor técnico. Foi a partir de sua pesquisa que o Município conseguiu visualizar a potencialidade natural. Além das diferentes aves procuradas pelas belas cores e cantos, o Município também abriga espécies endêmicas – que só ocorrem em determinadas regiões – como a Maria Catarinense, que atrai dezenas de observadores todos os anos e se tornou, por iniciativa da ADEA, a ave símbolo de Itapoá.

Do projeto, participam também o advogado David Gongora Jr., como consultor jurídico, o fotógrafo de natureza Edson Ferreira da Veiga, que registra as peculiaridades de cada ave através das lentes, e a jornalista Augusta Fehrmann Gern, responsável pela produção dos artigos. A escolha dos participantes buscou reunir profissionais de Itapoá com forte ligação com a Cidade, de diferentes atividades e envolvidos com questões ambientais. Assim, para todos os participantes, além da divulgação da avifauna itapoaense, o objetivo é documentar as espécies que estão presentes no dia-a-dia, visando à preservação.

Edson Ferreira da Veiga conta que a aves são uma paixão de criança. “Gostava de observar e tentar imitar o canto delas”. Em Itapoá, conseguiu colocar sua vontade em prática: fotografar as aves e divulgá-las em todo o território nacional através do site Wikiaves, especializado no assunto. Já para Augusta Fehrmann Gern, o contato mais detalhado com as aves iniciou junto ao projeto. “Sempre admirei as belas visitas na varanda de casa, mas com o projeto comecei a entender melhor as aves e a cada artigo fico mais fascinada”, afirma.

Assim, unindo diferentes conhecimentos, o projeto segue com uma paixão e objetivo comum. Além da pesquisa e divulgação dos pequenos habitantes itapoaenses através dos artigos, os participantes desejam expandir o conhecimento às escolas, comunidades e bibliotecas. “O que mais me admira, nesta cidade, é esta possibilidade de participar junto à comunidade para atingir o objetivo, seja para a presente geração, mas também para as futuras gerações”, afirma David Gongora em relação à preservação ambiental e cidadania.

Para acompanhar os artigos produzidos acesse: www.adeanewsletter.com


De Augusta Fehrmann Gern, com adaptação do Diário de Itapoá. Fotos: Edson Ferreira da Veiga.


 

Adicionar comentário

Política de Comentários DI

Ao efetivar um comentário, o internauta concorda com a nossa política de moderação.


Código de segurança
Atualizar