Projeto Babitonga Sustentável recebe R$ 200 mil para execução dos trabalhos Imprimir E-mail
Natureza
Qui, 08 de Outubro de 2009 00:09

O Projeto Babitonga Sustentável, que engloba os estudos e projetos de viabilidade para o repovoamento de peixes na Baía Babitonga, o cultivo de peixes e camarão na região Norte e a reativação do Laboratório de Larvas de Camarão, em Itapoá, está ganhando fôlego.

É que o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional (SDR) – Joinville, está repassando recursos no valor de R$ 200 mil para o início da execução do projeto.

Esses recursos de R$ 200 mil serão utilizados para a reativação do Laboratório de Larvas de Camarão em Itapoá e, em seguida, para dar início ao processo de produção de alevinos de robalo para repovoar a Baía Babitonga, culminando também em ações que abrangem a educação ambiental da comunidade entorno da baía.

O projeto conta com a participação de representantes da Epagri, Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional (SDR) – Joinville, Cidasc, Univille, Instituto Federal Catarinense, Fundação 25 de Julho, Laboratório de Larvas de Camarão, Fórum Regional Empresarial, além da Polícia Militar Ambiental, proprietários de marinas e de pousadas.

O projeto Babitonga Sustentável contempla o repovoamento de 500 mil alevinos de robalo, a instalação de um centro de referência tecnológico ambiental, a utilização da Ilha da Rita como centro de pesquisa e de turismo, a organização de um fórum permanente de discussão ambiental da baía, além da implantação de boias oceanográficas para monitoramento das águas e do clima.

Segundo o presidente da Fapesc, Diomário Queiroz, é preciso fortalecer as unidades de pesquisa existentes, como é o caso do Laboratório de Larvas. “A Fapesc pode ajudar este projeto de pesquisa. No momento, temos vários editais que vão beneficiar ações de pesquisa em iniciação científica e tecnológica. Estes projetos são muito importantes para o desenvolvimento da região e merecem toda nossa atenção”, revela Queiroz.

Na opinião do secretário de Estado de Desenvolvimento Regional - Joinville, Manoel Mendonça, esse recurso de R$ 200 mil é o pontapé inicial para que o grupo comece a colocar em prática as ações do projeto Babitonga Sustentável. “Estamos muito confiantes nestes projetos que pretendem alavancar o desenvolvimento, o turismo e a economia da nossa região. Todos vão ganhar com estas ações de cunho sócio ambiental que visa destacar a gastronomia, proporcionar turismo o ano todo, monitoramento das águas e do clima e outras ações”, expõe.

As informações e imagens são de Thiago Dias (Assessor de Imprensa da Secretaria de Desenvolvimento Regional de Joinville).

 

Adicionar comentário

Política de Comentários DI

Ao efetivar um comentário, o internauta concorda com a nossa política de moderação.


Código de segurança
Atualizar