Sustentabilidade é a tônica do Salão Ecológico de Artes, realizado na Acopof Imprimir E-mail
Natureza
Qui, 17 de Janeiro de 2013 22:49

Salão Ecológico das Artes, na Acopof, em Itapoá.Adolescentes moradores das comunidades próximas ao Porto Itapoá (Pontal, Figueira e Jaca), que gostam de aprendizados ambientais participam, todas as quintas-feiras, de um encontro na Acopof (Associação Comunitária do Pontal e da Figueira do Pontal). Lá, esses jovens aprendem sobre a natureza e são desafiados a agirem com atitudes simples, mas que visam resolver os problemas socioambientais do bairro, bem como desenvolver a cidadania e participar dos eventos comunitários. Tais encontros fazem parte do Projeto Ecológico das Artes, integrante do Programa de Educação Ambiental, medida de compensação exigida pelo Ibama, para o licenciamento ambiental federal do Porto. Portanto, contam com o apoio do terminal portuário.

Tal Projeto nasceu em 2010, durante a I Feira de Artesanato do Farol, que ocorre na Acopof, durante o verão. A intenção é, além de conscientizar os participantes acerca da importância da preservação do meio ambiente, mobilizar e envolver os adolescentes a participarem dos assuntos comunitários de uma forma geral, aprender uma profissão e evitar a ociosidade. A ferramenta utilizada é o emprego dos dons de cada um.

Dona Maria Lúcia, artesã, moradora local e professora aposentada foi quem tomou a frente da iniciativa, reunindo as mães, os adolescentes, e discutindo o a proposta em comunidade. O Projeto Salão Ecológico das Artes, então, foi criado, levando em consideração todas as opiniões. A Acopof também virou parceira da iniciativa, cedendo o espaço para os encontros com os adolescentes. Desde então, a linguagem artística e o artesanato têm sido incentivados, juntamente com o emprego dos patrimônios naturais e culturais da região nas peças produzidas. O Projeto leva em consideração que “a sustentabilidade parte da valorização e uso adequado dos aspectos positivos, para diminuir ou evitar os negativos”.

No ano de 2012, os adolescentes que integram o Projeto, participaram da elaboração de um vídeo educativo sobre as dunas e o problema da erosão na praia. Também produziram camisetas, divulgando os patrimônios naturais e culturais de Itapoá, com a técnica stencil. Além disso, produziram mudas de árvores frutíferas nativas e quadro de Oshibana (produzidos com flores). Tudo isso, para demonstrar a beleza e a fragilidade da Floresta Atlântica, ainda bastante preservada em Itapoá.

Conheça mais sobre o trabalho do Salão Ecológico das Artes no site: http://salaoecologicodasartes.webnode.com/


Do Diário de Itapoá. Nas fotos, de Geisiane Caldeira/DI, um pouco do trabalho desenvolvido pelo Projeto e exposto na sede da Acopof.



 

Adicionar comentário

Política de Comentários DI

Ao efetivar um comentário, o internauta concorda com a nossa política de moderação.


Código de segurança
Atualizar