Balneário Paese, em Itapoá, e praia do Capri, em São Chico, estão entre as mais limpas de SC Imprimir E-mail
Natureza
Dom, 15 de Janeiro de 2012 20:40

Balneário Paese em Itapoá considerada uma das 12 mais limpas de SC.Tomar banho de mar é tudo de bom. Ainda mais com a certeza de que a água está limpa. Duas praias da região se destacaram e são consideradas umas das 12 mais limpas de Santa Catarina, segundo as análises de balneabilidade da Fundação do Meio Ambiente de Santa Catarina (Fatma). O balneário Paese, em Itapoá, e a praia do Capri, em São Francisco do Sul, foram qualificados como próprias para banho em todos os estudos dos últimos dez anos.


Há mais de 30 anos que a Fatma realiza o monitoramento da água em 195 pontos espalhados por 500 quilômetros de litoral. Em um relatório divulgado nos primeiros dias deste ano, a fundação revelou que 13 destes pontos tiveram 100% de análises positivas, ou seja, em todas as vezes que a água foi testada, ela foi considerada própria. Outros 20 pontos tiveram 99% das análises positivas e também são considerados locais limpos. O estudo foi feito em cima dos monitoramentos semanais realizados entre novembro e março dos últimos dez anos.


O gerente de pesquisa e análise da qualidade ambiental da Fatma, Haroldo Tavares Elias, explicou que as praias de mar aberto têm mais chances de uma balneabilidade positiva. “Ali, a circulação de correntes marítimas é mais frequente, o que colabora para a renovação das águas. Já o lançamento de esgoto na praia, rios ou córregos próximos, além de muita chuva, pode deixar a água imprópria”, observa Tavares.
Os pontos que se destacaram na região também ficam em mar aberto. As análises no balneário Paese foram realizadas entre as ruas 1.020 e 1.030. Lá, foram feitas 236 análises nos últimos dez anos. Na praia do Capri, o ponto monitorado fica em frente à rua Inglaterra. Foram 241 análises – todas positivas.
A região ainda tem cinco pontos que se destacaram com 99% das análises positivas: a prainha de Penha, a praia Grande e a praia da Saudade; a Barra do Saí, em Balneário Barra do Sul; e a praia Grande, em Itapoá.



Capri, em São Francisco do Sul

O Capri é uma praia de difícil acesso. A estrada é de barro e fica distante da área central, cerca de 20 km do Centro de São Francisco. Mas tudo isso vale a pena. A área é nobre e iates e lanchas enfeitam a praia. Para se chegar à areia clara e soltinha, é preciso atravessar uma ponte de madeira, passar por uma trilha em meio à restinga, onde pode se ver dezenas de caranguejos, até chegar à praia.


As ondinhas tranquilas e a água azul deixam os olhos da pequena Stephanie Ramthun, 5 anos, brilhando. A mãe, a secretária de Jaraguá do Sul Márcia Roseli Stein Ramthun, 37, tem casa de praia em Enseada, mas costuma levar a filha para aproveitar os dias de sol no Capri. "Aqui é mais tranquilo para ela brincar. E a água realmente parece mais limpinha", disse Márcia.


Maria de Lourdes Spoldaro, 52, que é de Curitiba, costuma passar os verões no Capri, onde tem casa há 30 anos. “Estes entulhos como galhos poderiam ser retirados sempre. Mas faz parte da praia. Não troco o Capri por nada”, diz Maria.


Em São Chico, não existe um sistema de coleta e tratamento de esgoto. Mas a maioria dos moradores da região do Capri implantou fossa séptica e filtros nas casas. “Isso tem contribuído bastante. As pessoas têm responsabilidade e não jogam o esgoto na vala. Outra vantagem é que a praia está próxima do mar aberto, pois fica na boca da baía da Babitonga”, observa o secretário de Meio Ambiente, Cláudio Rudolfo Tureck.


O plano municipal de saneamento básico já passou por audiêcia pública e deve começar a ser implantado neste ano.



Do complemento “AN na sua Praia” do Jornal A Notícia. Foto: Jornal A Notícia.



 

Adicionar comentário

Política de Comentários DI

Ao efetivar um comentário, o internauta concorda com a nossa política de moderação.


Código de segurança
Atualizar