Conheça o processo de gerenciamento dos resíduos de Itapoá Imprimir E-mail
Natureza
Seg, 15 de Agosto de 2011 09:30

Estação de Transbordo Surbi ItapoáO lixo vem sendo um grande problema ambiental, econômico e social em todo o planeta. Esse problema é decorrente do desenvolvimento urbano e do aumento populacional, que resulta em um volume cada vez maior dos resíduos sólidos que se acumulam na superfície terrestre. O referido acúmulo gera grandes desafios aos órgãos públicos e à sociedade em geral quanto à forma de proceder o recolhimento e o acondicionamento correto dos resíduos, de forma a não causar danos à população e ao meio ambiente.

Quanto maior e mais desenvolvido o município, maior também a necessidade de um trato especial no que diz respeito ao gerenciamento de seus resíduos. Não é novidade que Itapoá está em franco desenvolvimento e o aumento populacional pode ser visto nas ruas e nos dados estatísticos que vêm sendo divulgados, como por exemplo os do Censo Demográfico do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Esse aumento populacional reflete na quantidade de resíduos produzidos e exige estratégias cada vez mais efetivas no trato do material descartado.


Gerenciamento de resíduos em Itapoá:

Coleta SeletivaDesde o último dia 02 de maio, Itapoá conta com a “coleta seletiva”, que é o termo utilizado para o recolhimento dos materiais que são possíveis de serem reciclados, previamente separados na fonte geradora. Dentre estes materiais recicláveis podemos citar os diversos tipos de papéis, plásticos, metais e vidros. A separação na fonte evita a contaminação dos materiais reaproveitáveis, aumentando o valor agregado destes e diminuindo os custos de reciclagem. A Surbi (Serviços Urbanos de Itapoá), que é responsável pela coleta dos resíduos na cidade, dispõe de um caminhão personalizado, com um motorista e dois coletores, voltado exclusivamente para a coleta seletiva. Esse caminhão passa em dias alternados à coleta dos resíduos domésticos, funcionando semanalmente às segundas, terças e quartas-feiras, ocasião em que passam uma vez por semana nos principais balneários do município. O volume semanal, segundo a Surbi, tem sido de 9 toneladas em média. Todo esse material reciclável recolhido é doado para a Associação de Catadores e Carroceiros de Itapoá. Segundo estudos realizados pela Compromisso Empresarial para a Reciclagem (Cempre) - associação sem fins lucrativos dedicada à promoção da reciclagem e mantida por empresas privadas – apenas 8% das cidades brasileiras fazem a coleta seletiva. Esse dado foi divulgado no último dia 09 de maio no site da revista Info, da Editora Abril.

O lixo hospitalar (nome que se dá aos resíduos originários de ações em hospitais) são resíduos cujas particularidades tornam inviável seu lançamento na rede pública de esgotos ou aterros. Representam uma fonte de riscos à saúde humana e ao meio ambiente, devido principalmente à falta de adoção de procedimentos técnicos adequados no manejo das diferentes frações sólidas e líquidas geradas, como materiais biológicos contaminados e objetos perfurocortantes, peças anatômicas, substancias tóxicas, inflamáveis e radioativas. Em Itapoá, toda quarta-feira, um caminhão próprio, adequadamente fechado e isolado (para que não haja vazamentos), recolhe o lixo hospitalar gerado pelos postos de saúde, clínicas veterinárias, clínicas odontológicas, farmácias e tatuadores de Itapoá. O destino dese lixo é um contêiner refrigerado, que fica na cidade de Mafra. De lá, ele segue para Chapecó, onde é incinerado. O volume de lixo hospitalar coletado em Itapoá, segundo a Surbi, é de 1.600 litros por semana, o que equivale a 50 quilos de resíduos.



Por fim, o lixo comum de Itapoá (que são restos de comida, de sua preparação, e os resíduos de limpeza) é coletado em dias alternados (de segunda a sábado) de acordo com a região e depositado em uma carreta, que fica na chamada estação de transbordo. Nessa estação, o lixo aguarda a transferência para a o aterro sanitário na cidade de Mafra, o que ocorre de uma a duas vezes por semana. A estação de transbordo é uma área restrita, localizada em uma rua secundária da Estrada Cornelsen e que fica a quatro quilômetros da residência mais próxima, visando a segurança da população. Todo o lixo que vai para essa estação de transbordo fica intacto até ser transportado para o seu destino final. O volume de lixo comum coletado em Itapoá é de 20 a 25 toneladas a cada dois dias, porém na temporada esse volume chega a 125 toneladas por dia.

Segundo Sidnei Pires do Amaral, gerente da Surbi, a comunidade pode otimizar o processo de coleta de resíduos, separando o lixo reciclável do lixo comum e deixando em dia a coleta seletiva antes de o caminhão passar. “A comunidade também pode colaborar, instalando lixeiras para a coleta e colocando o lixo comum nelas na noite anterior à passagem do caminhão”, diz Sidnei. Outra recomendação é sempre separar vidros quebrados e materiais pontiagudos em caixas de papelão e nunca soltos em sacolas ou sacos, evitando assim que o coletor se acidente.

Clique aqui e confira os horários da coleta de lixo e da coleta seletiva de Itapoá.

Do Diário de Itapoá, com informações da Surbi.



Matérias relacionadas:

- Confira o cronograma da coleta seletiva;

- Itapoá entra para o seleto grupo de cidades brasileiras que contam com coleta seletiva.


Fotos da Estação de Transbordo


 

Adicionar comentário

Política de Comentários DI

Ao efetivar um comentário, o internauta concorda com a nossa política de moderação.


Código de segurança
Atualizar