Uma declaração de amor ao planeta Imprimir E-mail
Natureza
Seg, 06 de Junho de 2011 20:12

Juarez Michelotti (a direita), engenheiro florestal, trabalhou em Itapoá.Dedicados à preservação do planeta, eles não são ecochatos: seis educadores de Bertioga formam o Projeto Coração Selvagem, grupo criado por profissionais que atuam naquela cidade com educação ambiental e artes, promovendo ações como o Sarau Ambiental, uma proposta de reflexão sobre questões ecológicas, de forma lúdica e cultural.

No último dia 9 de abril, eles se apresentaram no 9º Sarau Caiçara realizado em Santos, na Pinacoteca Benedicto Calixto. Trouxeram músicas que falam da natureza e um painel com o desenho de flores de manacá, para serem pintadas pelos presentes.

A interatividade é a característica principal de seu trabalho. Segundo o apresentador do grupo, Rogério Wong, o objetivo deles é “propor a reflexão ambiental através da arte, em suas diversas formas: música, poesia, pintura e outras expressões. Assim, buscamos despertar interesse para assuntos ligados à valorização da vida e a relação das pessoas com o meio. Não nos limitamos apenas a demonstrar nossa arte, mas incentivar a participação dos interessados, de modo a favorecer a interação entre todos, fazendo aflorar os mais sublimes sentimentos”, diz.

Nos encontros promovidos pelo projeto, são realizadas oficinas de sensibilização em que os participantes têm oportunidade de estreitar o contato com o ambiente a sua volta, por meio de uma trilha interpretativa, jardinagem, um passeio ecológico ou mesmo uma vivência cultural.

Todas as faixas etárias são bem-vindas e um dos elementos mais utilizados pelo grupo é o repertório de canções, em geral compostas em letra e música por Marcelo Bokermann, que já participou de diversos conjuntos musicais de rock e MPB, é biólogo, artista plástico e, na banda Coração Selvagem, vocalista e violonista.

Os demais membros são: Rogério Wong – pedagogo, que atua com educação ambiental há mais de 10 anos, faz origamis, brinca de apresentador e cuida da parte “empresarial” do projeto; Juarez Michelotti* – engenheiro florestal, atuou com acampamentos educativos, ator, bonequeiro, mochileiro e músico (contra-baixo); Douglas Amorim – formado em Educação Física, tocou em vários conjuntos de MPB, tem registro na Ordem dos Músicos e responde pela segunda voz e percussão; Bruno Durante – futuro biólogo, tem uma grande paixão pelo mar, é microempresário, compositor e músico (violão); e Ariel Milani – biólogo, artista plástico, também possui registro da Ordem dos Músicos (teclado e piano) e cuida dos arranjos musicais.

Quando perguntado sobre o objetivo do grupo, Rogério respondeu: “ser feliz”. Os seis são bem sucedidos nesse sentido, porque a apresentação do grupo é alegre e descontraída, promovendo realmente a integração com a plateia. Para isso, quem esteve na Pinacoteca recebeu um folheto com algumas das composições criadas por Bokermann, inclusive a que deu nome ao projeto, e acabou cantando com o sexteto. Uma delas é Sapaiada:

“Tem um sapo lá no brejo que canta... Gol!
Na verdade não é um sapo, é uma rã
Tem gente que dá duro lá na mata
Tem bicho que dá duro lá na mata
Tem até perereca batendo lata
Tô ouvindo cantoria na lagoa
Esse som que ecoa é do cururu
Tem gente que diz que é à toa
Viver essa vida na lagoa
Mas tem gente que ainda não entendeu
Mas tem gente que ainda não quer entender
Que ainda só respeita o que convém”


* Juarez Michelotti, integrante do grupo Coração Selvagem, é filiado da Associação de Defesa e Educação Ambiental – ADEA. Desenvolveu diversas atividades ambientais em Itapoá (SC). Coordenou o Projeto de Educação ao Ar Livre na Reserva Volta Velha, foi Técnico Ambiental e Diretor de Meio Ambiente da Prefeitura. Em 2009, foi contratado como Educador Ambiental no SESC de Bertioga (SP), onde está implantando o Projeto de Educação ao Ar Livre.

Por Madô Martins, MidiAtiva, com adaptações.



 

Adicionar comentário

Política de Comentários DI

Ao efetivar um comentário, o internauta concorda com a nossa política de moderação.


Código de segurança
Atualizar