ARTIGO: E por falar em balneabilidade, por Werney Serafini Imprimir E-mail
Natureza
Qua, 19 de Janeiro de 2011 18:01

Temporada no auge, praia “bombando” e surge, inoportuna, a surpresa pré-anunciada. Infelizmente, previsível. O Relatório de Balneabilidade da FATMA, responsável pelo acompanhamento da qualidade da água do mar, confirmou que o ponto de monitoramento em Itapema do Norte está impróprio para banhos. Publicado no site da instituição, dia 14 de janeiro passado.

Na temporada 2010/2011 foram emitidos cinco boletins: o primeiro em 10/12/2010 (coleta: 08/12/2010); o segundo em 17/12/2010 (coleta: 16/12/2010); o terceiro em 22/12/2010 (coleta: 16/12/2010); o quarto em 7/1/2011 (coleta: 16/12/2010); o quinto, em 14/01/2011 (coleta: 13/01/2011).

Chama atenção que nos Boletins 02, 03 e 04, as amostras analisadas foram as coletadas no dia 16/12/2010, pressupondo a utilização de uma única para os três boletins. Isso poderá suscitar dúvidas quanto ao critério para obtenção das amostras, o que justifica um esclarecimento por parte da FATMA e dos órgãos municipais responsáveis.

Os demais locais monitorados em Itapoá apresentavam-se apropriados, felizmente.

Itapema concentra o maior número de veranistas e turistas no verão e é também o local mais densamente habitado durante o ano. A impropriedade da água do mar não é novidade. Nos últimos anos, os boletins têm constatado o fato, especialmente, nos meses da temporada e notadamente quando as chuvas são constantes e intensas. A solução está condicionada a implantação do sistema de esgotamento sanitário e, prioritariamente, em Itapema.

A qualidade da água do mar depende da coleta e do tratamento dos dejetos residenciais, portanto a captação e o tratamento sanitário são medidas urgentes. Porém, envolvem recursos vultosos, os quais, o município não dispõe no montante necessário. A administração municipal empreende tratativas no governo federal para obtê-los. Realizou o diagnóstico sobre a situação do abastecimento de água, a coleta e o tratamento de esgotos, elaborando o Plano de Saneamento Básico Municipal encaminhado ao Ministério das Cidades. Está em curso o Edital de Licitação para contratação de empresa para operar a captação e o tratamento de água no município. São exigências preliminares para a obtenção de recursos federais. Contudo, demanda tempo. Enquanto não acontece, Itapoá terá que conviver com o problema, mesmo que constrangida ao admitir que não esteja isenta de poluição, como muitos podem imaginar.

Mas, existem alternativas mitigadoras. Uma delas, a utilização de sistemas individuais, tipo fossa e sumidouro com tratamento a cloro, que reduz significativamente o nível de contaminação no lençol freático, desde que recebam manutenção periódica. A legislação municipal, inclusive, determina sua utilização nas novas construções.  Outras, com tratamento biológico por sistemas de raízes, como as adotadas em algumas residências, no condomínio Cancun, no Hotel Marina Baití e, em construção no prédio da nova Prefeitura. Ou ainda, estações de tratamento independentes e dimensionadas para grandes empreendimentos como a do Porto de Itapoá.

Cabe reiterar a sugestão feita anteriormente para que a Prefeitura contrate um levantamento nas residências e edifícios de Itapema do Norte, verificando o tipo de fossa utilizado, o estado em que se encontram e, se for o caso, obrigar a troca por modelos menos poluentes. Como ação preliminar, uma ampla campanha de conscientização, direcionada aos proprietários dos imóveis, sobre essa necessidade.

Ao olhar único e pragmático do crescimento econômico, pode parecer que preocupações dessa natureza sejam apenas utopias. Mas, certamente, os cidadãos conscientes e responsáveis têm consigo o propósito de que Itapoá, de fato, venha a ser uma cidade com economia desenvolvida, mas fundamentalmente, com qualidade de vida, equilíbrio social e meio ambiente adequado.

Por Werney Serafini.

 

Adicionar comentário

Política de Comentários DI

Ao efetivar um comentário, o internauta concorda com a nossa política de moderação.


Código de segurança
Atualizar