A balneabilidade no verão, por Werney Serafini Imprimir E-mail
Natureza
Sáb, 13 de Novembro de 2010 11:43

Em Santa Catarina, a Fundação do Meio Ambiente (FATMA), realiza o monitoramento das condições de balneabilidade nas praias, por meio de análises laboratoriais de amostras coletadas em pontos determinados em todos os municípios do litoral. As análises indicam a qualidade da água do mar e apontam eventuais impropriedades nos locais frequentados por banhistas. Os resultados fixados nos pontos de monitoramento e, divulgados no site da instituição, prefeituras e imprensa.

Em Itapoá, as amostras são coletadas em quatro locais: i) Balneário Brasília, no final da rua 650; ii) Balneário Paese, entre as ruas 1.020 e 1.030; iii) Balneário Palmeiras, no final da rua 1.970 e; iv) Barra do Saí, na rua 20. No litoral catarinense são monitorados 194 pontos.

No seu site, a FATMA informa que, para a próxima temporada, a partir da semana de 8 a 12 de novembro, fará a primeira coleta semanal das amostras de água. De acordo com a metodologia empregada, após cinco semanas consecutivas de coletas e análises dos materiais, passará a divulgar boletim semanal, apontando o primeiro resultado em 10 de dezembro. Segundo os técnicos da Fundação, os relatórios serão elaborados até o final da temporada em Março de 2011. Passado o verão, o monitoramento voltará a ser mensal, exceção feita ao Balneário de Camboriu que continuará semanal, em razão de determinação do Ministério Público Federal.

Por muito tempo, nos boletins da FATMA constaram que as condições de balneabilidade das praias de Itapoá eram apropriadas durante todo ano, inclusive no verão. Entretanto, nas últimas temporadas, a mais freqüentada por banhistas, deixou de ter essa qualidade. O ponto de coleta da rua 650, no Balneário Brasília, nas proximidades do Rio Medanha, na terceira pedra em Itapema do Norte foi considerado impróprio para banho durante toda a temporada. Justamente no local de maior urbanização e consequentemente, o mais concorrido no verão.

As análises medem a quantidade de coliformes fecais existentes nas amostras o que faz supor, serem provenientes dos dejetos residenciais lançados no sistema de esgotamento sanitário individual, as fossas sépticas com sumidouros que, aliados ao elevado nível do lençol freático, ficam saturados com a intensidade de chuvas no período.

Ao término do verão, a Secretaria de Meio Ambiente em ação conjunta com a Vigilância Sanitária, realizou operação de fiscalização denominada “Fecha Esgoto”, constatando diversas ligações clandestinas de efluentes nas galerias e valas de drenagem das águas fluviais e, principalmente, no leito do Rio Medanha. Os responsáveis foram notificados, alguns atuados e as ligações irregulares eliminadas. Em razão da iniciativa ou em consequência da diminuição natural da população, após a temporada, as amostras sequenciais voltaram a indicar a condição de apropriada para banho.

De qualquer forma, o problema existe e a probabilidade de que poderá se repetir na próxima temporada é forte. A solução definitiva parece ser óbvia, ou seja, a implantação do esgotamento sanitário universal em Itapoá. Contudo, nem sempre o óbvio é possível. Saneamento custa caro e recursos para isso o município não dispõe, pelo menos nos volumes necessários. Portanto, o tratamento de esgoto é uma solução de médio para longo prazo.

Penso que, medidas alternativas de curto prazo são necessárias, por exemplo, uma fiscalização nas residências do entorno, inspecionando os atuais sistemas individuais para que sejam verificados se estão adequados e, se for o caso, substituídos por outros mais eficientes com tratamento a base de cloro, menos poluentes, e exigidos para a concessão dos novos alvarás de construção.

Por que não se fazer, também, uma campanha recomendando que os proprietários dos imóveis providenciem a limpeza e o esgotamento das fossas, para mitigar o dano causado às águas subterrâneas. Tal qual se faz com a limpeza das caixas d’água antes do verão. Uma iniciativa envolvendo a Secretaria do Meio Ambiente, Vigilância Sanitária, Secretaria de Saúde e as Águas de Itapoá, a empresa responsável pelo sistema de abastecimento de água e esgotamento sanitário do município.

Itapoá é conhecida por suas praias, areias limpas e águas quentes, não poluídas. Atributos valorizados por turistas e veranistas que para cá são atraídos por essas características que, infelizmente, deixaram de existir em muitos outros balneários da Santa e Bela Catarina. Esse é o diferencial que fará de Itapoá uma praia exclusiva, ambientalmente adequada, pronta para receber empreendedores verdadeiramente interessados no desenvolvimento com responsabilidade social e ambiental.

 

Adicionar comentário

Política de Comentários DI

Ao efetivar um comentário, o internauta concorda com a nossa política de moderação.


Código de segurança
Atualizar