Operação de Conscientização, Orientação e Fiscalização é realizada nos Mercados e Açougues de Itapoá Imprimir E-mail
Justiça
Qui, 30 de Setembro de 2010 12:37

O Ministério Público de Santa Catarina, em parceria com a Vigilância Sanitária Municipal, Vigilância Sanitária Estadual, CIDASC (Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina), Ministério da Agricultura e Polícia Militar, realizou nos dias 28, 29 e 30 de setembro operação de conscientização, orientação e fiscalização nos mercados, supermercados e açougues de Itapoá.


A operação foi direcionada para a fiscalização de produtos de origem animal (carne, leite, ovos e queijos), tendo sido apreendidas as mercadorias fora do prazo de validade e sem procedência definida.

A ação, que faz parte do Programa de Proteção Jurídico-Sanitária dos Produtos de Origem Animal do Ministério Público, está sendo realizada nesse período em oito Comarcas do Estado e já foi implementada em outras diversas cidades de Santa Catarina.

Os mercados, supermercados e açougues que não foram abrangidos pela fiscalização durante os dias 28, 29 e 30 de setembro serão fiscalizados pela Vigilância Sanitária Municipal e Ministério Público durante o mês de outubro de 2010.

Os comerciantes terão prazo para se adequarem às normas sanitárias e o apoio da CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas) para a realização dessa adequação.

A ingestão de produtos de origem animal impróprios ao consumo pode ocasionar sérios problemas à saúde dos consumidores, tais como salmonelose (sintomas: vômitos, cólicas e febre, podendo ocasionar a morte); gastroenterites (sintomas: cólicas, náuseas e febre); toxinfecções alimentares (sintomas: cólicas, náuseas e febre); teníase – Solitária (sintomas: distúrbios de estômago, de fígado e emagrecimento); cisticercose (sintomas: dor de cabeça contínua, dificuldade de andar, podendo provocar cegueira, distúrbios mentais – como a epilepsia – e morte); câncer e alterações hormonais (causados por hormônios usados para “tratamento” de animais antes do abate, sem observação dos cuidados técnicos necessários), e, finalmente, toxoplasmose (causada pelo Toxoplasma gondii, podendo provocar abortos, cegueira, dores de cabeça e erupções cutâneas).


Fonte: Promotoria de Justiça de Itapoá.

 

Adicionar comentário

Política de Comentários DI

Ao efetivar um comentário, o internauta concorda com a nossa política de moderação.


Código de segurança
Atualizar