A Notícia: Emoção e protesto marcam passagem da tocha olímpica por Joinville Imprimir E-mail
Esporte
Qua, 13 de Julho de 2016 23:21

Revezamento do símbolo olímpico começou na Expoville e foi até o Centreventos Cau Hansen. A passagem da tocha olímpica pelas ruas de Joinville foi marcada por emoção e protesto durante a tarde desta quarta-feira (13/07). O símbolo das Olimpíadas chegou pela Expoville, na rua 15 de Novembro, e foi conduzida durante 22 quilômetros até o Centreventos Cau Hansen. Entre os condutores, estiveram alguns atletas joinvilenses que sentiram a emoção de participar do revezamento.

O nadador Eduardo Fischer, medalhista de prata e bronze nos jogos Pan-americanos de 2003, conduziu a tocha pela rua Abdon Batista até o Mercado Público Municipal. Ele já participou das Olimpíadas em duas edições, em Sidney (2000) e Atenas (2004), quando foi semifinalista nos 100 metros nado peito. Ele ainda representou o Brasil em seis campeonatos mundiais e quebrou o recorde sul-americano por mais de 30 vezes.

— Nas competições, a gente pensa em dar o melhor de si e aqui no revezamento pensa em transmitir o melhor. Neste momento, passam pela cabeça muitas lembranças dos jogos olímpicos — conta.

Outra atleta joinvilense que pôde conduzir a tocha olímpica foi a mesa-tenista Alexia Nakashima, que é atleta da Seleção Brasileira desde 2013. Ela é a atual campeã sul-americana juvenil e vice-campeã panamericana juvenil por equipe. Alexia também está classificada para o mundial deste ano na África do Sul.

— O sonho de todo atleta é ir para as Olimpíadas, então participar do revezamento da tocha é sensacional. Ainda não caiu a ficha — diz.


Emoção em ver a passagem da tocha

A pescadora francisquense Nilce Paula dos Reis Silva, 60 anos, não conseguiu ver a passagem da tocha na cidade-natal, em São Francisco do Sul, mas decidiu levar o neto Jorge, de sete anos, para ver o símbolo olímpico pelo Centro de Joinville.

— Ele não me deixou sossegada e largou a mãe, que está se recuperando de uma operação, em casa para ver a tocha. É um momento histórico porque vai demorar mais uns 600 anos para passar por aqui de volta — diz.

O garoto gostou tanto do evento, que até posou para foto ao lado de uma das condutoras na rua do Príncipe. Os dois ainda foram à pé até a frente da Prefeitura para ver novamente a tocha.

O encerramento foi marcado por uma grande festa no início da noite promovido pela iniciativa privada no estacionamento do Centreventos Cau Hansen, no Centro.

Coube à bailarina joinvilense, Thais Diógenes, a honra de acender a pira olímpica, acompanhada no palco pelo maior ídolo do Joinville Esporte Clube (JEC), Nardela. O meia acumulou sete títulos estaduais pelo clube.

A tocha passa a noite com a delegação em Joinville e nesta quinta-feira de manhã será levada para o Paraná.


Juarez Machado é o primeiro a carregar a tocha em Joinville

— Queria ter corrido 5 quilômetros — brincou o artista Juarez Machado após percorrer os primeiros 200 metros do percurso de 22 quilômetros que marcam a passagem da tocha olímpica por Joinville.

A saída, no Pórtico de Joinville, aconteceu pouco depois das 15 horas e foi acompanhada do carinho de várias pessoas que aguardavam a chegada da tocha na tarde desta quarta-feira.

Juarez entregou a tocha para o morador Cláudio Luiz Vargas. No total, 80 pessoas vão correr com a tocha até o encerramento no Centreventos Cau Hansen.

— Foi muito comovente, uma grande festa, uma iniciativa do bem. Tudo isso vai fazer parte da minha vida — completou o Juarez.

O policiamento foi reforçado. De acordo com o capitão Screpanti, que comandou a operação, o planejamento começou dois meses atrás. Foram destacados 184 policiais para atuarem na fiscalização de trânsito e policiamento ostensivo.

Fonte e fotos do Jornal A Notícia.


 

Adicionar comentário

Política de Comentários DI

Ao efetivar um comentário, o internauta concorda com a nossa política de moderação.


Código de segurança
Atualizar