Vereadora Marcia Regina Eggert Soares (PSDB) Imprimir E-mail
Entrevistas
Qui, 30 de Abril de 2009 11:17

Márcia Regina Eggert Soares, descendente de família simples e numerosa. Nascida no dia 04 de novembro de l964, natural de Guaramirim/SC, filha de Dorvalino Roberto Eggert e Maria da Graça Mira Eggert (hoje em memória). É casada com Francisco Xavier Soares, advogado, tem um filho. Residem em Itapoá há mais de 18 anos. É servidora pública estadual na área do magistério, cargo de Administradora Escolar com 22 anos de serviço prestado. Também concursada, desde 2002, pela Prefeitura Municipal, no cargo de Administradora Escolar e, deste cargo, está licenciada para atuar como Vereadora. É graduada no Curso de Pedagogia da Faculdade de Educação de Joinville e Pós Graduada na área de Psicopedagogia. Atuou como Secretária de Educação nas administrações dos três prefeitos que passaram pelo nosso município. Foi vereadora na gestão 2005-2008 e reeleita no mandato atual, sendo a única representante feminina pela segunda vez consecutiva na Câmara de Vereadores.

De que forma se desenvolveu sua história política?
Iniciei em 1994 aqui em Itapoá quando nomeada diretora da Escola de Educação Básica Nereu Ramos devido a minha empatia com as pessoas e à minha capacidade de resolver os problemas. Filiei-me ao PSDB e acabei me envolvendo definitivamente na vida política. Sou política por vocação e por acreditar que as pessoas merecem respeito e que os seus direitos devem ser preservados.

De que forma a senhora avalia o voto de confiança dos itapoaenses ao a elegerem ano passado? Como pretende retribuir essa confiança?
O povo sempre dá a resposta certa e que mostra, através do voto, o que querem para Itapoá. As pessoas elegem pessoas que trabalham por elas, que lutam por elas, que mostrem compromisso por elas. Os votos que eu obtive foram de coração e reconhecimento. Os meus eleitores empregaram seus votos, confiando no meu compromisso e no meu trabalho, pois lutei e realizei muitas ações em prol da melhoria da qualidade do ensino de Itapoá e o agradecimento das pessoas veio com a minha reeleição. Vi que tenho que trabalhar sempre e buscar fazer mais.

Qual a sua prioridade de trabalho em relação a projetos para o município? Algum projeto que você considere imprescindível?
Projetos que venham beneficiar todas as pessoas do nosso município, sem em momento algum levar em consideração idade, sexo, cor, religião ou partido. Projetos na área da Educação com uma jornada escolar ampliada, oferecendo aos alunos aulas de inclusão digital, de artes cênicas, de danças e diversas modalidades esportivas. Projetos na área da cultura, incentivando a participação da criança e do jovem na Banda, na Fanfarra Municipal e na música. Projetos de Lei para ampliar o atendimento da saúde, trazendo novas especialidades de atendimento, investindo no bem estar do ser humano. Projetos urgentes nas áreas de segurança pública; do turismo; do lazer; da assistência social, investindo na pessoa idosa e mostrando o nosso carinho e respeito por aquelas pessoas que deram e ainda dão a sua contribuição para o desenvolvimento de nosso município. E, acima de tudo, na área de infraestrutura da nossa cidade, com prioridade absoluta no saneamento básico, por meio da Política Municipal de Saneamento Básico. O saneamento é fundamental para qualquer cidade, pois é um condicionante da saúde. Pretendo discutir e analisar, em audiências públicas e nas reuniões de comissões, os projetos de leis que irão realmente favorecer e proporcionar o bem-estar de nossos munícipes, veranistas e turistas. Investimento em saneamento básico significa um grande avanço nas áreas social, de infraestrutura e de saúde, com melhoria da qualidade de vida e, principalmente, com a redução do risco de contágio por doenças infecto-contagiosas.

Como a senhora avalia o trabalho do Poder Executivo desenvolvido até o momento nessa gestão?
Eu vejo com bons olhos. Considero o Prefeito Ervino um administrador, ele é muito pé no chão, mas como estamos no inicio dessa nova gestão, tem ainda muito para se fazer. Eu acredito e sugiro que a solução do nosso futuro esteja nas crianças, porque se conseguirmos educá-las, estaremos educando uma família inteira.

O que a senhora espera do Poder Executivo no atual mandato?
Todas as ações apresentadas por essa nova administração estão voltadas a dar melhores condições de formar um cidadão, seja na saúde, na educação, na arte, na cultura, no turismo, no meio ambiente, no esporte, na agricultura, na segurança e na infraestrutura. O prefeito Ervino tem, em seu propósito, alavancar o desenvolvimento de Itapoá, atrair empresas e gerar empregos. A população de Itapoá deve ser considerada cliente da Prefeitura e conhecida desde o estudante do ensino fundamental até o empresário mais forte; inclusive, o Planejamento Estratégico do Município deve ser amplamente divulgado para a população neste inicio de mandato, pois, é ele o balizador das realizações e pode servir para medir a eficiência de uma administração municipal.

E o trabalho do Poder Legislativo, até o momento, como a senhora avalia?
Acredito em um bom relacionamento e que os vereadores estão comprometidos com o bem-estar e o desenvolvimento de Itapoá, deixando os seus próprios interesses de lado, dentro do Legislativo. Os mesmos estão apoiando integralmente o Presidente da Mesa Diretora que está ativamente empenhado no projeto de construção da nova sede, respeitando assim as normas vigentes de construção e especialmente os direitos humanos. Na Câmara, estamos trabalhando em conjunto no sentido de aumentar a participação popular nos trabalhos da casa. O Presidente está melhorando o atendimento à população, tornando a Casa mais eficiente. Já está se utilizando, de forma contínua, os meios de comunicação com a finalidade de deixar o povo bem informado sobre as ações da Câmara. E, também estão sendo oferecidos treinamentos aos funcionários da Casa de Leis para a realização de cursos de aprendizado ou aperfeiçoamento profissional.

Em relação à audiência pública sobre a Lei nº. 140/2007 que regulamenta o comércio temporário no município, houve opiniões divergentes sobre o assunto. Qual a sua posição sobre o comércio temporário e as feiras de verão?
A Lei n° 140/2007, que regulamenta a atividade do comércio temporário, já determina que os ambulantes comercializem seus produtos autorizados. A medida tomada nessa lei visa combater o comércio clandestino. Na alta temporada, aqui em Itapoá e em especial na comunidade de Itapema do Norte, há mais de cem ambulantes legalizados. O que precisamos, é contratar, treinar e fazer rodízios de um grupo de fiscais escalados para atuarem na praia, na alta temporada, por setores de forma padronizada, dando aos fiscais poderes para punir os infratores, com a apreensão dos produtos de venda não autorizados, com pena de multa, suspensão temporária e até perda definitiva da sua licença/alvará de trabalho. Entendo que a peça principal para o sucesso de qualquer projeto de ordenamento da praia, passa pelo rigor das punições a serem aplicadas aos infratores. É imprescindível e mais que oportuno agora, com a chegada do inverno, que a Associação dos Ambulantes, com os demais representantes dos segmentos envolvidos, e as autoridades formem um grupo de trabalho que defina conjuntamente as mudanças e a aplicabilidade da Lei, preparando-a para o próximo verão.

Recentemente, a Câmara foi sede de uma interessante discussão sobre a erosão em nossa orla marítima, como a senhora avalia essa situação? De que forma o Legislativo pode auxiliar a sanar ou amenizar esse problema?
Numa época em que o nível do mar sobe desenfreadamente, Itapoá está a sofrer a olhos vistos essas consequências ambientais, podendo um dia deixar de dispor da sua maior atração turística: as praias com a beleza da sua orla marítima. Não podemos permitir que, em Itapoá, se crie a "cultura da pedra" como forma de combater a abrasão marinha. Temos que lembrar da sabedoria popular que diz: "água mole em pedra dura tanto bate até que fura". Não podemos preferir repetir o que fizeram com outras praias brasileiras. O remédio para a erosão marinha é areia. Quando existe areia suficiente, o sedimento se encarrega de dissipar a energia das ondas e, consequentemente, o fenômeno erosivo. Cientistas, hoje, discutem sobre o aquecimento do Planeta e a consequente subida do nível do mar. Para se ter uma idéia, o nível médio dos mares vem subindo 5 cm a cada 25 anos, sendo esse mais um fator de agravamento do processo erosivo. Itapoá, como a maioria das praias do litoral Catarinense, precisa de "injeção de areia". Porque não se draga areia do mar para lançar na praia? Qualquer geólogo marinho ou engenheiro de costa sabe que a areia é a solução contra a erosão. A solução é engordar a praia, reconstituir o perfil da praia. É necessário alertar aos órgãos competentes da administração pública que se não fizermos dragagem de areia para a praia de Itapoá, breve ela estará destruída. É preciso manter a praia com dragagens sucessivas, repor as areias que o mar está levando e fazer o que a natureza está impedida de fazer. Acredito que isso é melhor do que transformar Itapoá num amontoado de pedras. Hoje, no mundo inteiro, não se combate mais erosão com pedras. Os cientistas entendem que a praia é um recurso não renovável de grande valor turístico, social e econômico. Por isso, os custos de manutenção das praias, através do engordamento delas, tornam-se irrelevantes diante da magnitude desses ambientes. O turismo, importante atividade geradora de empregos, é fundamentalmente dependente das praias.

Qual a sua opinião em relação à construção e as atividades que o Porto desenvolverá em nosso município?
Não tenho nenhum posicionamento contrário à implantação do porto. É sabido que a localidade do Pontal, onde está se instalando o porto tem profundidade suficiente para receber embarcações de grande calado, bem como os benefícios econômicos e oportunidade de geração de emprego que o porto trará para a cidade. Sabemos que um município que tem um porto vai ter uma arrecadação maior e oportunidade de desenvolvimento. Evidente que tem as consequências negativas, também, teremos um aumento significativo na demanda por serviços públicos na área da saúde, educação, segurança e saneamento. Mas o desenvolvimento tem que ser administrado de forma que, com esses recursos, o Poder Público possa administrar os problemas que vierem com o porto.

Como a senhora avalia o atual momento do nosso município?
Nossa região é uma das mais lindas do mundo, com muitas riquezas. Precisamos nos unir para atingirmos muitos objetivos. Além da geração de trabalho e renda, temos que priorizar a preservação de nossa praia e do nosso meio ambiente, pois o futuro exige isso. O fato é que Itapoá apresenta grandes desafios. Há muito a ser feito. Problemas graves a serem sanados. Hoje, vejo que o executivo vem, através de ações político-administrativas, superando-as. A experiência tem mostrado que as dificuldades de caráter político se combatem com trabalho. É isso que sinto no momento. Nosso município ainda sofre com o momento pós-enchente, que está acarretando problemas na infraestrutura da cidade e, consequentemente, afetando o desenvolvimento econômico. As dificuldades existem e se mostram desde o início.

Qual a mensagem que a senhora deixa para a população itapoaense e, até mesmo, para os turistas que freqüentam nosso município?
Itapoá é uma cidade espetacular por dispor de beleza singular, além da grande perspectiva de desenvolvimento turístico e portuário, ambos já consagrados no cenário global. Itapoaenses e turistas, a nossa participação é fundamental na concretização desse futuro grandioso, priorizando o homem e o meio ambiente.

 

Adicionar comentário

Política de Comentários DI

Ao efetivar um comentário, o internauta concorda com a nossa política de moderação.


Código de segurança
Atualizar