Projeto de Lei do Poder Legislativo a dar entrada na Câmara, se aprovado, proibirá o uso de pulseiras coloridas no ambiente escolar Imprimir E-mail
Educação
Sáb, 10 de Abril de 2010 14:43

Pulseiras do sexoAs “pulseiras do sexo”, como ficaram popularmente conhecidas, tomaram conta do noticiário nacional por terem relação direta com violência sexual contra adolescentes.

Três casos, registrados nos últimos dias, tomaram grande proporção na imprensa.

Na cidade de Londrina, interior do Paraná, uma jovem de 13 anos foi estrupada por quatro rapazes que, supostamente, teriam arrebentado uma das pulseiras dela em um terminal de ônibus. Em Manaus, capital da Amazonas, duas adolescentes foram assassinadas em um mesmo dia, sendo que em ambos os casos houve violência sexual, supostamente ligada ao uso das pulseiras. Os conselhos tutelares de Manaus registraram outros 14 casos de agressão e tentativa de violência contra meninas que usavam esse artefato.

Tendo em vista os fatos envolvendo a utilização de tais pulseiras, as Câmaras Municipais de algumas cidades vêm editando leis no sentido de proibir o uso ou, até mesmo, a comercialização dessas pulseiras a menores de idade. Outras cidades, passaram a proibir o uso das mesmas nas escolas, tudo no sentido de tentar conscientizar crianças e adolescentes e evitar que outros casos extremos se repitam.

Em meio a esses fatos que vêm ocorrendo Brasil afora, o Projeto de Lei do Legislativo de Itapoá  nº. 05/2010, que “Proíbe o Uso de Pulseiras Coloridas no Ambiente Escolar”, dará entrada na Câmara Municipal de Vereadores em Sessão Ordinária, a ser realizada na próxima segunda-feira (12), a partir das 19 horas, nas dependências da Casa Legislativa Municipal.

 

Adicionar comentário

Política de Comentários DI

Ao efetivar um comentário, o internauta concorda com a nossa política de moderação.


Código de segurança
Atualizar