Escola Monteiro Lobato realiza projeto “Visitando um Museu” Imprimir E-mail
Educação
Qui, 27 de Outubro de 2011 22:59

Alunos da Escola Monteiro Lobato em Itapoá visitam museu em Corupá.Os alunos do 7º ano da Escola Monteiro Lobato visitaram, no último dia 15 de outubro, o Museu de Taxidermização, localizado no Seminário Coração de Jesus em Corupá. Esse projeto foi desenvolvido pela professora de Ciências Aline Zanela, a qual uniu teoria e prática dentro do conteúdo sobre seres vivos. O ponto culminante do projeto foi a visita ao Museu de Taxidermização. O espaço conta com 3.500 exemplares de animais taxidermizados, dentre os quais aves, répteis, mamíferos e peixes. A arte da taxidermia tem como objetivo principal o resgate de espécimes descartadas, reconstituindo suas características físicas e, às vezes, simulando seu habitat.

Para os alunos, foi um aprendizado inigualável, no qual puderam refletir sobre a importância da preservação ambiental. A escola é uma instituição social que promove situações de aprendizagens que permanecem por toda a vida. Hoje em dia, fala-se muito em interdisciplinaridade, a forma de se juntar diferentes conteúdos em um único projeto educativo. Os passeios são formas de se ajustar as necessidades da educação.

A Arte de dissecar e conservar animais mortos, que serão destinados a exibição ou estudo, requer muita habilidade e grande conhecimento da anatomia desses seres. Existem várias técnicas que variam de acordo com o animal a ser preparado.

A taxidermia implica, também, em um conhecimento do ambiente natural onde os animais vivem, para que se possa dar cor local a uma exibição de exemplares preparados.

No ano de 1932, o Irmão Luiz Godofredo Gartner, iniciou os trabalhos no viveiro “Paraíso das Aves”, além de desempenhar outras atividades na casa. Com o tempo, foi aprendendo a arte da taxidermia e começou a organizar um museu para expor os seus trabalhos.

Com certeza, o grande objetivo de Irmão Luiz com o museu foi o de tornar perceptível que mais importante que o saber, é o sentir. O sentir carregado de responsabilidade e de compaixão para que o ser humano se descubra como parte do ecossistema.

Em 2004, o Museu Sagrado Coração de Jesus passou a se chamar de Museu Irmão Luiz Gartner, uma justa homenagem a este religioso que dedicou a sua vida à natureza e ao trabalho com a instalação e manutenção do museu.

Quem visita o Museu Irmão Luiz pode admirar uma verdadeira obra de arte. O religioso procurou, com a arte da taxidermia, apresentar a diversidade natural, convidando os visitantes a refletirem sobre a importância da preservação ambiental.

“O aprendizado nunca termina. Não existe parte da vida que não contenha lições. Se você está vivo, há lições para aprender”. (Autor desconhecido)

Fonte e fotos: Aline Zanela.



 

Adicionar comentário

Política de Comentários DI

Ao efetivar um comentário, o internauta concorda com a nossa política de moderação.


Código de segurança
Atualizar