Dr. David Gangora Júnior, um exemplar defensor da democracia Imprimir E-mail
Educação
Sex, 03 de Abril de 2009 12:00

Natural de Campinas, no interior do estado de São Paulo, Dr. David Gongora Júnior reside em Itapoá desde meados de 2002 e é uma figura conhecida do município. O que muitos não sabem, é que por trás desse advogado estudioso, existe uma história de luta pela democracia.


Dr. David Gongora Júnior começou a ser perseguido pela ditadura militar em 1968, quando participou da famosa Greve de Osasco. Na época, ele tinha apenas 19 anos e recém tinha servido o exército.

Por ser um dos líderes da Greve dos Metalúrgicos de Osasco, Dr. David foi injustamente acusado de assalto, atentados e seqüestro do cônsul japonês e acabou respondendo a três processos que previam pena de morte em grau máximo e prisão perpétua em grau mínimo. “Nessa altura dos acontecimentos, se eu sou preso, eu seria morto e nunca poderia ter explicado que não fazia parte de assalto, nem atentados e nem seqüestro algum”, conta.

Em virtude de tudo que ocorreu, Dr. David Gongora se viu obrigado a deixar o Brasil por um tempo, mudando de identidade e indo morar no Chile. Mas logo retornou ao Brasil, utilizando-se de outro nome. O tempo passou e ele viveu clandestinamente até ser preso. Em 1979, ele foi beneficiado pela Lei da Anistia, do então Presidente Figueiredo e liberado sem nada, apenas com a roupa do corpo. Ainda solto, Dr. David era monitorado constantemente e não conseguia manter empregos por muito tempo por causa disso. Ficou, ainda, 10 anos sofrendo esse monitoramento.

Diante de tudo isso, Dr. David entrou com um pedido de indenização no Estado de São Paulo. “No último dia 20 de março, passei a ser brasileiro duas vezes. Uma por ter nascido e outra pelo Estado Brasileiro, em solenidade, ter pedido desculpas ao cidadão brasileiro que sou. Um cidadão que foi perseguido pela ditadura por ter lutado pela democracia”, diz. E completa: “Nunca dependi financeiramente desse reconhecimento. Quero aproveitar para estudar e contribuir para a sociedade”.

Quanto ao reconhecimento de sua história, Dr. David procura deixar clara a sua visão: “Eu não me considero um herói. Heróis são aqueles que são presentes, mas já se foram. Que são lembrados, mas não estão em nosso convívio. Eu me considero um patriota, porque naquela época lutei por um ideal, pela nação e hoje, continuo lutando”.

Sobre o nosso país, Dr. David Gongora Júnior diz que: “O Brasil demora muito para escrever sua história e enquanto não estiver escrevendo ainda, a gente, enquanto vivo, vai anotando”.

“Eu digo para os jovens: nunca tenham medo de acreditar! A sociedade tenta forçar você a seguir os padrões dela e se você fizer isso, será um velho muito frustrado mais tarde. Não existe sonho sem educação. Temos que aguentar professores chatos e tudo mais. Os melhores professores são aqueles que parecem ser os piores”, completa Dr. David Gongora Júnior, um verdadeiro Cidadão Brasileiro.

 

 

Adicionar comentário

Política de Comentários DI

Ao efetivar um comentário, o internauta concorda com a nossa política de moderação.


Código de segurança
Atualizar