Retomada do cultivo da larva de camarão volta a ser debatida na região Imprimir E-mail
Economia
Qui, 27 de Agosto de 2009 19:20

Dando sequencia ao assunto do cultivo de camarão na região Norte e em Santa Catarina, debatido no último encontro do Conselho de Desenvolvimento Regional – Joinville, aconteceu nesta quarta-feira (26) uma reunião entre representantes da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional (SDR) – Joinville, Gerências Regionais da Epagri e da Cidasc e ainda o diretor da Larvisul, em Itapoá, Augusto Gonçalves Filho.

A reunião foi realizada no gabinete do secretário da SDR-Joinville, Manoel Mendonça.

Entre os assuntos discutidos está a retomada da produção de larvas de camarão para suprir a demanda das 17 fazendas de camarão existentes em Santa Catarina. De acordo com o diretor da Larvisul, em Itapoá, Augusto Gonçalves Filho, a safra de camarão está iniciando e o melhor momento para começar é agora. “Por isso, estamos solicitando o apoio do Governo do Estado, através dos órgãos competentes, para que nos auxiliem a retomar a questão das larvas de camarão”, comenta.

O secretário de Estado de Desenvolvimento Regional (SDR) – Joinville, Manoel Mendonça, destacou que o assunto deverá ser novamente debatido no dia 9 de setembro, às 16 horas, na SDR-Joinville, numa reunião com técnicos e engenheiros, além de representantes de entidades e órgãos. “Queremos ampliar o assunto para que, neste período que antecede a reunião do dia 9 de setembro, possamos fazer novos levantamentos e estudos técnicos para encontrar uma solução para a retomada do cultivo do camarão no Norte catarinense.

Debate
Há poucos dias, em reunião realizada em Itapoá, o tema do cultivo deste crustáceo foi apresentado pela médica veterinária Daniele Hoffmann, responsável estadual pela sanidade dos animais aquáticos na Cidasc, que comentou sobre a doença da mancha branca. Na oportunidade, ela destacou que o auge da produção de camarão em SC foi em 2004. “Após este ano, houve queda de produção devido ao aparecimento da mancha branca no Estado. Atualmente, somente 17 fazendas estão em atividade contra as 111 que existiam em 2004”, ressaltou.

Segundo ela, a participação da Cidasc se intensificou depois do episódio da mancha branca. Atualmente, existem 19 médicos veterinários nomeados para cuidar da sanidade. “A principal dificuldade deste setor é formar profissionais na área de animais aquáticos.”, salientou a médica veterinária.

Assessoria de Comunicação SDR-Joinville
Jornalista Thiago Dias (JP 1483 SC)

 

 

Adicionar comentário

Política de Comentários DI

Ao efetivar um comentário, o internauta concorda com a nossa política de moderação.


Código de segurança
Atualizar