Itapoá ganha indústria de processamento de palmito nesta semana Imprimir E-mail
Economia
Ter, 17 de Agosto de 2010 19:16

A região Norte de Santa Catarina é rica na plantação de palmáceas (palmeira real e pupunha). São 1.400 hectares plantados, 890 produtores e um faturamento de mais R$ 13 milhões anuais. Por isso, na cidade de Itapoá, uma fábrica para produção de palmitos em conserva será instalada. A Indústria de Processamento de Palmáceas Lehman vai ser inaugurada nesta quinta-feira (19), às 17 horas, após a reunião do Conselho de Desenvolvimento Regional – Joinville.

De acordo com o gerente Regional da Epagri, Onévio Zabot, a indústria, além de valorizar o produto, vai melhorar a qualidade. “Com a instalação da fábrica em Itapoá, a demanda vai ser maior e, consequentemente, melhoraremos a produtividade.”, afirma. Segundo ele, a venda de palmitos alcança o mercado brasileiro e chega até a exportação. “É um nicho que movimenta boa parte da economia do norte catarinense, que está crescendo fortemente”.

Zabot complementa que a fábrica, localizada na Reserva Volta Velha, é considerada modelo no Estado, por possuir o que há de mais moderno no ramo. “Todos os equipamentos são atualizados e acompanham a tecnologia”, comenta.

A Epagri oferece assistência técnica aos produtores de palmito da região e, nesse caso específico, desenvolveu todo o projeto de funcionamento da Indústria Lehman através do engenheiro de alimentos, Henri Petcov.

“A indústria prevê uma produção inicial de 47 mil vidros de palmito de palmeira real”. A afirmação é de um dos proprietários da fábrica, Natanoel Machado. Para o próximo ano, a estimativa é de 95 mil vidros por mês. Grande parte da produção será entregue para o mercado de alimentos da região Sudeste do Brasil.

Machado ressalta que o clima e solo da região Norte são os mais adequados de Santa Catarina para produção de palmáceas. Por isso, a cidade de Itapoá foi escolhida, pois o risco de perda de produção é baixo. “Toda a região será beneficiada a partir da instalação da indústria de processamento que permite trabalhar volume suficiente para a ampliação do cultivo de palmáceas,”.

O principal objetivo da Indústria Lehman é atuar na consolidação das alianças de fornecedores locais de matéria prima e distribuidores nacionais. A indústria permitirá a criação de 35 empregos diretos. Com o apoio da Epagri, é possível o envolvimento da agricultura familiar no cultivo de palmáceas, o que pode resultar em mais 175 empregos indiretos (viveiristas, plantadores, equipes de corte, transportadores, etc.).

Nesse projeto existe também uma aliança entre a produção industrial, o cultivo e a conservação da natureza. A fábrica está situada dentro de uma propriedade que detém 580 hectares de reserva particular e mais 500 hectares de florestas de preservação permanente. Em 70 hectares serão cultivados com palmeiras e a base de processamento da Indústria Lehman.

“Na medida em que a cadeia de produção de palmáceas cultivadas se mobiliza para suprir o mercado nacional, a pressão sobre os estoques de palmeiras nativas se reduz, permitindo uma recomposição das florestas nativas” explica o proprietário.

Informações da SDR (Secretaria de Desenvolvimento Regional) de Joinville.

 

Adicionar comentário

Política de Comentários DI

Ao efetivar um comentário, o internauta concorda com a nossa política de moderação.


Código de segurança
Atualizar