Conheça as crianças de Itapoá, Jason e Patrícia, estudantes da tradicional Escola de Teatro Bolshoi Imprimir E-mail
Cultura
Qui, 18 de Março de 2010 08:05

Na semana comemorativa dos 10 anos da Escola de Teatro Bolshoi no Brasil, o Diário de Itapoá preparou uma matéria especial sobre a história do Bolshoi em Joinville e a participação de duas crianças de Itapoá na escola Russa. Patrícia Corrêa Cândido de 13 anos e Jasson Kerkhoven também de 13 anos, fazem parte do seleto grupo de 264 estudantes da Escola Bolshoi do Brasil.

 

A Escola do Teatro Bolshoi no Brasil comemora 10 anos em março. Para celebrar esse momento estrelas russas do Teatro Bolshoi junto com alunos e bailarinos da Cia. Jovem da Escola do Teatro Bolshoi no Brasil protagonizam três noites espetaculares, no Centreventos Cau Hansen, em Joinville.  Em uma das noites, no dia 15 de março, data oficial da comemoração de aniversário, cerca de 100 alunos da Escola, acompanhados de professores e bailarinos profissionais do Teatro Bolshoi e da Cia. Jovem da Escola do Teatro Bolshoi no Brasil interpretaram “A Grande Suíte do Balé Don Quixote”.

 

Esse balé, com nova versão coreográfica de Vladimir Vasiliev, conta a história de amor de Kitri e Basílio. Heroísmo e ilusão, com traços hispânicos marcantes envolvem a trama. Don Quixote, nobre cavalheiro, e Sancho Panza, seu fiel escudeiro, ajudam os heróis apaixonados Kitri e Basílio a viver essa história que tem um final festivo em Barcelona.

 

Esse foi apenas um dos muitos espetáculos oferecidos pelo Bolshoi de Joinville. Mais do que ter a satisfação de ver um espetáculo dessa magnitude cultural, é poder ver crianças da região e do Brasil inteiro, mergulhadas nesse mundo mágico dos espetáculos de dança clássica.

 

O desenvolvimento de diversos aspectos acompanha a rotina diária dessas crianças, através de atividades físicas, mentais, alimentação balanceada, inclusão social, dedicação, superação pessoal, e outras benfeitorias proporcionadas para os alunos do Bolshoi.

 

A aluna Patrícia Corrêa Cândido de 13 anos, filha de Roque Rogério Cândido e Marcela Kemp Corrêa, e também o aluno Jasson Kerkhoven de 13 anos, filho de Celsso Kerkhoven e Josiana de Fatima Carvalho Kerkhoven, estão fazendo história em Joinville. Essas duas crianças, após enfrentarem uma rigorosa seleção, e concorrer com crianças do Brasil inteiro, conseguiram ingressar na Escola de Teatro Bolshoi, considerada a mais renomada e tradicional do mundo. A oportunidade é para poucos e a rotina é dura, pois a fama da escola não vem ao acaso. Os Russos mantem treinamentos rigorosos, buscando a perfeição, e assim para chegar em níveis profissionais, a jornada é dura, mas ao final vale a pena, conforme relata Ana Botafogo.

 

As duas crianças de Itapoá começaram a jornada participando do Projeto Segundo Tempo. O projeto,  promove a participação dos alunos da rede pública de ensino em atividades esportivas e culturais, tais como: Voleibol, Futebol, Xadrez, Recreações, Capoeira, Judô, Balé, Música e, esporadicamente, participam de alguns eventos comemorativos, explica o Diretor Municipal de Esporte e Juventude Sérgio Cavalo.

 

 

 

Bolshoi no Brasil

 

A Escola do Teatro Bolshoi no Brasil é a única Escola do Bolshoi fora da Rússia. Seu ideal é o mesmo da Escola Coreográfica de Moscou, criada em 1773: proporcionar formação e cultura por meio do ensino da dança, para que seus alunos tornem-se protagonistas da sociedade.

Joinville foi a cidade escolhida para sediar este projeto de inclusão social para crianças e jovens. Localizada no norte do Estado de Santa Catarina, a inauguração ocorreu em 15 de março de 2000, com o diretor do Teatro Bolshoi Vladimir Vasiliev, o prefeito de Joinville Luiz Henrique da Silveira, além de autoridades, artistas e comunidade. Vladimir Vasiliev e Luiz Henrique da Silveira tornaram-se os patronos fundadores da instituição.

Tudo começou quando em 1995, para que outras nações tivessem oportunidade de conhecer a metodologia aplicada na Rússia, o diretor artístico do Teatro Bolshoi, Alexander Bogatyrev, desenvolveu um projeto que reproduzia as mesmas características da Escola Coreográfica de Moscou.

Em 1996, a Cia. do Teatro Bolshoi realizou uma turnê no Brasil e Joinville foi incluída no programa. O espetáculo ocorreu no 14º Festival de Dança de Joinville. Os russos ficaram impressionados com a receptividade do público e a reverência da cidade diante da arte. Depois disso, o russo Bogatyrev esboça propostas para montar uma unidade da Escola no país, contemplando questões como a aplicação da metodologia, seleção de professores e alunos, estrutura física necessária.

Dois anos depois, o idealizador Bogatyrev faleceu. Mas seu legado era consistente: o esboço do projeto estava concluído e foi apresentado para prefeitos e diretores de instituições de ensino do Brasil. O prefeito de Joinville, Luiz Henrique da Silveira, comprometeu-se no desenvolvimento da proposta. No dia 20 de julho de 1999, na abertura do 17º Festival de Dança de Joinville, Alla Mikhalchenko, primeira bailarina Teatro Bolshoi, assinou o protocolo de intenções com o prefeito.

Entre os fatores decisivos para a escolha de Joinville estava a profunda ligação da cidade com a dança, em função de seu tradicional festival anual. Além disso, o então prefeito – e atual governador de Santa Catarina – empenhou-se pessoalmente nos processos institucionais entre o Brasil e a Rússia e disponibilizou uma área de aproximadamente 6 mil metros quadrados no Centreventos Cau Hansen, para instalação da sede.

Os alunos que ingressaram no ano de 2000 completaram o ciclo de oito anos de estudos. Assim, em 2007 ocorreu a formatura da primeira turma de dança clássica.

Hoje os formados pelo Bolshoi Brasil trabalham no mundo todo. Quinze bailarinos continuam em Joinville trabalhando na Cia. Jovem da Escola do Teatro Bolshoi no Brasil.

 

 

Site do Teatro Bolshoi

 

 

Confira as fotos de Jason e Patrícia, de Itapoá, que estão estudando na tradicional Escola de Teatro Bolshoi

 

 

Confira o vídeo da incrível apresentação Morte do Cisne (Dying Swan)

Dim lights Embed Embed this video on your site

 

Adicionar comentário

Política de Comentários DI

Ao efetivar um comentário, o internauta concorda com a nossa política de moderação.


Código de segurança
Atualizar