Guarda-vidas civis de Itapoá anunciam possível paralisação Imprimir E-mail
Bombeiros
Seg, 08 de Fevereiro de 2010 09:20

Em decorrência da falta de repasse do recurso de ajuda de custo aos guarda-vidas civis do Município, o GSAI (Grupo de Salvamento Aquático de Itapoá) anunciou que aguarda até esta terça-feira (09) o depósito das ajudas de custo atrasadas, dos dias trabalhados a partir de 11 de janeiro.


Segundo ofício encaminhado pelo GSAI aos poderes Executivo e Legislativo, bem como aos órgãos de imprensa e ao Corpo de Bombeiros do Município, nesta segunda (08) e terça-feira (09), o trabalho será realizado normalmente. Se a situação não for resolvida, quarta-feira (10), metade do efetivo dos guarda-vidas fará uma manifestação no Posto 10, que fica em frente à Colônia de Pesca, em Itapema do Norte, sendo que a outra metade continuará desempenhando suas atividades normais. Não havendo solução, a partir de quinta-feira (11) haverá paralisação total dos trabalhos, os quais serão retomados somente após o problema ter sido solucionado.

Isso tudo foi decidido em reunião da Associação dos Guarda Vidas Civis, realizada neste domingo (07), em que, por unanimidade, tomaram essas medidas. Apesar das condições, onde se trabalha 12h por dia em postos que não possuem instalações adequadas, o grupo de salvamento aquático de Itapoá é um dos melhores do Estado (elogiado em matéria do próprio Diário de Itapoá), em termos de resultado, conforme dados abaixo:

Guarda-vidas civil em Santa Catarina 410, em Itapoá 64 (16%).
Arrastamentos em Santa Catarina 1115, em Itapoá 117 (10,5%).
Mortes 8 em SC, nenhum em Itapoá (0%).
Afogamento em água doce com recuperação: 5 em SC, sendo 4 em Itapoá (80%).
Afogamento em água salgada com recuperação: 45 em SC, sendo 15 em Itapoá (33%).
Prevenções: 280.000 em SC, sendo 65.000 em Itapoá (23,5%)

Automaticamente, o efetivo daqui também não vai para Balneário Barra do Sul se a situação permanecer como está. Em Balneário Barra do Sul, o efetivo de guarda-vidas já havia entrado em situação de greve, pelo mesmo motivo, porém lá, os guarda-vidas civis foram dispensados. Alguns dos guarda-vidas de Itapoá prestam serviço por lá, mas deixarão de prestar se a situação não se normalizar.

No comunicado, o GSAI reconhece que tanto a greve, quanto a paralisação causarão enorme transtorno para o Município, bem como para  Grupo de Salvamento, porém não encontram outro meio de exigir o que a eles é de direito. Essas ajudas de custo são essenciais para o transporte, a alimentação, bem como para o próprio sustento de muitos dos que trabalham na função de guarda-vidas e, por isso, é de extrema urgência que essa situação seja resolvida.

 

Importante esclarecer que essas ajudas de custo são de responsabilidade do Governo do Estado.

 

Adicionar comentário

Política de Comentários DI

Ao efetivar um comentário, o internauta concorda com a nossa política de moderação.


Código de segurança
Atualizar