Dezembro chegou e poucos são os postos guarda-vidas em condições adequadas para a temporada Imprimir E-mail
Bombeiros
Dom, 06 de Dezembro de 2009 10:31

No início deste ano de 2009, houve um pleito de Itapoá junto à SDR (Secretaria de Desenvolvimento Regional) Joinville, solicitando a construção de 10 postos guarda-vidas. Tal pleito foi aprovado naquela ocasião, mas até agora (primeiro final de semana de dezembro) não se viu nenhuma construção desses postos com recurso do Estado, como se previa.


Em entrevista ao Diário de Itapoá, publicada em 22 de junho de 2009, o Sargento Ferreira, Comandante do Corpo de Bombeiros no Município, informou que a partir da metade deste ano (2009), a reforma dos postos guarda-vidas seria prioridade, conforme ele havia conversado com o Prefeito Ervino Sperandio.

No dia 24 de outubro, o Diário de Itapoá anunciou em matéria, um projeto para os novos postos guarda-vidas, chamado Projeto Posto Ecológico de Guarda-Vidas 2009. O projeto é custeado pela inciativa privada e até o momento, apenas o Posto Ecológico da Barra do Saí foi ativado.

Apesar de todo o esforço do Corpo de Bombeiros do Município, bem como dos profissionais envolvidos com a questão de guarda-vidas em Itapoá, a situação atual é muito preocupante. O Diário de Itapoá esteve checando as instalações de postos guarda-vidas existentes entre Itapoá (Centro) e a Barra do Saí e constatou (como comprovam as imagens) que a situação de alguns pontos é bastante precária. Para se ter uma ideia, dentro dos, aproximadamente, oito quilômetros de praia que ligam Itapoá Centro a Itapema do Norte, foram constatados apenas quatro postos guarda-vidas, sendo dois deles em péssimo estado de conservação. Conforme a Instrução Normativa 033/DAT/CBMSC, a área máxima de proteção de um guarda-vidas é de 500m a partir do posto de observação, dentro de um campo visual único que permita manter vigilância permanente em 100% desta área.

A falta de postos e de condições mínimas de trabalho são as principais reclamações dos guarda-vidas civis que estão trabalhando nesta temporada. Os bombeiros só utilizam os postos no verão. No inverno, esses postos viram patrimônio do Município, que devem manter o local. É responsabilidade do Município portanto, a construção de novas estruturas e a manutenção das existentes. 

Em conversa com alguns guarda-vidas civis, o Diário de Itapoá foi informado que muitos deles encontram-se revoltados com a situação e, inclusive, estão ativando a Associação de Guarda Vidas Civil do Município para ganharem força junto aos órgãos competentes. "O número de profissionais é insuficiente e os postos não têm estrutura adequada para o trabalho. Não adianta nada ter um posto sem paredes ou com a cobertura danificada, pois não serve de abrigo para o vento e para a chuva. Faltam equipamentos e banheiros", disse um guarda-vidas que preferiu não se identificar.

Os Bombeiros de Itapoá muito têm se esforçado, para realizar a manutenção dos postos e a construção de novas unidades. É notório o trabalho dos bombeiros em nossa cidade, analisando que Itapoá possui a maior extensão litorânea de Santa Catarina e ao mesmo tempo é um dos municípios mais carentes. No entanto, é de responsabilidade de todas as autoridades políticas, em especial do Executivo Municipal, dar condições mínimas de trabalho aos guarda-vidas e dar segurança aos banhistas, evitando fatalidades por conta desse problema.

Abaixo, imagens da situação relatada na matéria.

 

 

Adicionar comentário

Política de Comentários DI

Ao efetivar um comentário, o internauta concorda com a nossa política de moderação.


Código de segurança
Atualizar