Desperdício de dinheiro público em construção irregular de posto guarda-vidas Imprimir E-mail
Bombeiros
Qua, 26 de Março de 2014 13:49

Uma cena no mínimo inusitada. O proprietário de um lote localizado na beira mar do balneário Santa Clara, na Rua 1320, cercou e não permite a entrada para o término das obras de um posto guarda-vidas construído pelo Corpo de Bombeiros e Prefeitura Municipal de Itapoá.  A obra foi realizada em propriedade privada e sem a aprovação do dono do lote.


O referido posto guarda-vidas fica localizado nas proximidades do Restaurante Planeta Azul. A construção já estava na fase final, quando o proprietário descobriu e tomou providências. Se não chegar a um acordo, o posto deverá ser demolido. Conforme relatos, já foram despendidos cerca de R$ 8.000,00.

Nota oficial da Prefeitura Municipal de Itapoá

Conforme a assessoria de comunicação da Prefeitura, “O responsável pela construção do posto foi o Corpo de Bombeiros, a Prefeitura somente cedeu o material”.

Nota oficial do Corpo de Bombeiros Militar de Itapoá
Conforme o comandante de Bombeiros de Itapoá Sargento Emerson Jorge da LUZ, “Em decorrência das ressacas sucessivas que assolam mais intensamente o trecho entre o Maresias e NIL'S Hotel, essa faixa de praia necessita de área de monitoramento. Havia no local do posto construído uma Cadeira de Praia que não fornecia condições de trabalho aos responsáveis pelo serviço de salvamento. Solicitamos apoio à Prefeitura para edificarmos algo no local para evitar que essa área ficasse desprotegida por falta de posto e de colaboradores, pondo em risco uma grande quantidade de banhistas que utilizam essa faixa. Durante a construção , antes do término, fomos questionados sobre a propriedade do terreno, porém o documento apresentado não era do lote em questão. Após notificação relativa e comprovação , acionamos a Prefeitura para solucionarmos o caso, deixando bem claro a necessidade de monitoramento daquela área, ainda que as condições de terrenos estejam prejudicando a edificação. Se pecamos foi para evitar um mal maior que seria o boicote dos colaboradores que se recusariam a trabalhar naquelas condições e certamente para evitar mortes numa região tão movimentada. A Prefeitura está tentando um acordo com o proprietário do terreno para evitarmos a demolição e concluirmos a obra ativando o local. Na impossibilidade , um outro posto deverá ser edificado conforme proposta para ativação dos postos de salvamento de 2015/2020 encaminhada a Prefeitura pelo nosso Grupamento.


Opinião DI
A situação de infraestrutura de trabalho dos guarda-vidas civis de Itapoá já é precária, e como se não bastasse a falta de investimentos, o pouco investido é mal aplicado. Dos 16 atuais postos em funcionamento, apenas 2 foram construídos pela Prefeitura. Esse posto deveria ser o 3º, mas a falta de cuidado ao planejar a obra levou a esta situação embaraçosa. Confirmada a demolição do posto, restará verificar a situação de quem emitiu o alvará de construção para as devidas responsabilizações e reparações ao erário público.


Do Diário de Itapoá.


Matérias relacionadas:

- Reivindicações dos guarda-vidas começam a ser atendidas

- Em reunião com o GSAI, Prefeitura de Itapoá promete atender revindicações do Grupo

- Prefeitura responde denúncia do Grupo de Salvamento Aquático de Itapoá

- GSAI denuncia más condições de trabalho ao MP, e ameaça não mais trabalhar na atual situação

 

Adicionar comentário

Política de Comentários DI

Ao efetivar um comentário, o internauta concorda com a nossa política de moderação.


Código de segurança
Atualizar