Itapoá com representantes no XI Senabom Imprimir E-mail
Bombeiros
Qua, 30 de Junho de 2010 21:43

XI SenabomCerca de dois mil Bombeiros, de todo o país e do exterior, estiveram reunidos do último dia 23 ao dia 26 de junho, para prestigiar a abertura do XI SENABOM (11ª Edição do Seminário Nacional dos Bombeiros), na Vila Germânica em Blumenau.


O tema dessa edição do Seminário foi: O papel dos Corpos de Bombeiros Militares na redução de riscos de desastres. A abertura do evento, que contou inclusive com a presença do Exmo. Governador do Estado de Santa Catarina, Leonel Arcângelo Pavan, atraiu a atenção de muita gente, impressionados pela presença do grande número de Bombeiros na cidade.

Com o objetivo de evoluir na atualização e no aprimoramento técnico-profissional, através do compartilhamento de ideias, o evento serve, em especial, para uma grande confraternização entre Bombeiros. Paralelo ao evento, foi montado uma feira de equipamentos, com inúmeros itens, todos relacionados ao serviço dos bombeiros, que vão desde pequenos equipamentos a até caminhões. Os visitantes aproveitam para levar para os seus estados, o que há de mais inovador no mundo em matéria de equipamentos de socorro.

Cabe salientar que a promoção e organização dessa XI edição, está a cargo do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina, em parceria com os Bombeiros Comunitários. Apoiam o evento, o Governo do Estado, a Defesa Civil Nacional e Estadual, a Prefeitura de Blumenau, Pronasci (Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania) e a Ligabom (Liga Nacional dos Corpo de Bombeiros do Brasil), com patrocínio da Helibras.

Participaram deste evento, o Sargento Ferreira, Comandante do Corpo de Bombeiros de Itapoá, e o Cabo Edival, representando a Defesa Civil Municipal e Regional, juntamente com o Sargento Olivério, Comandante do Corpo de Bombeiros Militar de Garuva e o Soldado Bombeiro Militar Alberto, tambem de Garuva.

Segundo o Cabo Edival, este evento foi de grande importância, devido a troca de conhecimentos, não só entre Bombeiros e gestores de Defesa Civil brasileiros, como também franceses, americanos e chilenos, contando suas experiências em desastres naturais. “Hoje, os gestores públicos estão preocupados em estruturarem suas defesas civis, não somente para as respostas, mas também para um trabalho preventivo, com planos municipais de redução de riscos, obras de contingenciamento de cheias, criação de fundos municipais de defesa civil e capacitação destes gestores. Este é o caminho para uma nova defesa civil”, conclui Cabo Edival.



 

Adicionar comentário

Política de Comentários DI

Ao efetivar um comentário, o internauta concorda com a nossa política de moderação.


Código de segurança
Atualizar